No embate de ideias, há quem prefira queimar livros a discuti-los

Jornal da USP - 17/10/2018|

Recentemente, o Brasil viu estampar em seus noticiários dois novos casos de temor e ódio aos livros. No início de outubro, um colégio particular do Rio de Janeiro suspendeu a leitura de Meninos sem Pátria, romance de Luiz Puntel escrito em 1981, destinado aos estudantes do sexto ano. O motivo foi a revolta de pais de alunos, que acusavam a obra de “doutrinação comunista”. Na mesma semana, publicações sobre direitos humanos apareceram destruídas na Biblioteca Central da Universidade de Brasília (UnB). Páginas abordando a luta por direitos e o fim da ditadura militar foram encontradas rasgadas por servidores da instituição.

“Os pais precisam participar da vida da escola. Não existe escola que funcione bem sem tal participação. Mas a participação dos pais não diz respeito ao projeto pedagógico da escola”, analisa o professor da Faculdade de Educação (FE) da USP Nílson José Machado. “No caso das escolas privadas”, continua, “se os pais não concordam com tal projeto, retiram o aluno e matriculam em outra escola, com mais sintonia em termos de projetos e, sobretudo, em termos de valores. No caso da escola pública, a participação em associação de pais pode levar até o limite de solicitação de esclarecimentos à direção, mas não cabe aos pais escolher ou indicar livros, por exemplo, nem tentar influenciar a perspectiva metodológica.”

“Canais respeitosos de comunicação podem e devem ser abertos, mas o profissionalismo dos professores e da equipe de direção e coordenação pedagógica precisa preponderar”, pontua. “A divisão de responsabilidades entre a família e a escola pressupõe diálogo franco, mas há espaços que são próprios da família, como alguns entroncamentos referentes a valores, enquanto outros são de responsabilidade precípua da escola. O terreno pedagógico é um desses espaços em que a escola deve assumir o comando.”

Ler Mais: Jornal da USP
Ler Mais

SEMANA DA LITERATURA DE OSASCO

CBL - 16/10/2018|

A Semana da Literatura de Osasco terá abertura oficial no dia 19/10, na Biblioteca Monteiro Lobato, na avenida Marechal Rondon, 260, Centro, com a presença do Presidente da Câmara Brasileira do Livro – Luis Antonio Torelli, seguida de um sarau “A arte em que habito”, uma história da literatura e das artes em geral de Osasco. No dia 20/10, a programação, das 11h às 18h, na Praça do Samba prevê feira do livro, feira de artesanato, gastronomia, sarau, banda musical, lançamentos de livros, intervenção poética e slam. No mesmo dia, das 19h às 22h, no Centro de Formação Continuada tem Sarau da Educação e Resgatando Quintais (abordagem sobre brincadeiras infantis).

A programação completa a seguir:
Dia 19 – Sexta-feira
Horário: 19 horas
Sarau A arte em que habito (história da literatura e artes em geral de Osasco)
Local: Biblioteca Monteiro Lobato (avenida Marechal Rondon, 260 – Centro)

Dia 20 –Sábado
Horário: 11h às 18h
Feira do Livro, feira de artesanato, gastronomia, sarau, banda musical, lançamentos de livros, intervenção poética (SESC) e slam
Local: Praça do Samba (rua Alexandre Baptistone, Km 18)
Dia 20
Horário: 19h às 22h
Sarau da Educação e Resgatando Quintais (abordagens sobre brincadeiras infantis)
Local: Centro de Formação Continuada (avenida Marechal Rondon, 263 – Centro)

Dia 21 – Domingo
Horário: 11h às 18h
Feira do Livro, feira de artesanato, gastronomia, sarau, banda musical e lançamentos de livros
Local: Praça do Samba (rua Alexandre Baptistone, Km 18)

Dia 22 – Segunda
Horário: 14h30 às 15h30 – Encontro com a escritora Le Melo
Horário: 18h às 19h – Encontro com a escritora Mara Monteiro
Horário: 19h15 às 20h45 – Roda de conversa com editoras
Local: Biblioteca Monteiro Lobato (avenida Marechal Rondon, 260 – Centro)
Dia 22
Horário: 14h às 16h
Sarau Marizeth Maria
Local: CEU Zilda Arns Neuman (rua Theda Figueiredo Rega, 155 – Jardim Elvira)
Dia 22
Horário: 14h às 16h
Sarau Ideologia Fatal
Local: CEU José Saramago (avenida João de Andrade, 1301 – Jardim Santo Antônio)

Ler Mais: CBL 
Ler Mais

Biblioteca Pública do Paraná realiza sua segunda festa literária

Publishnews - 16/10/2018|

A Biblioteca Pública do Paraná (Rua Cândido Lopes, 133 – Curitiba / PR) realiza de 22 a 27 de outubro a segunda edição da Flibi, a Festa Literária da Biblioteca. O evento acontece durante a Semana Nacional do Livro e da Biblioteca com palestras, bate-papos, oficinas, atividades para o público infantil, apresentações de música e teatro. Este ano, o escritor homenageado é Jamil Snege (1939-2003), que estreou na literatura há 50 anos com o livro Tempo sujo (1968). “O ecletismo, inclusive presente no legado do Jamil, dá o tom desta edição da Flibi”, conta o curador do evento, o escritor e jornalista Marcio Renato dos Santos. A programação, com entrada franca contará com mais de 60 convidados, entre eles, Mary del Priore (na foto ao lado) que já no dia 22 fala sobre a história do amor e da sexualidade no Brasil. Eduardo Bueno apresenta na quarta-feira (24), a palestra inédita Paraná: dos primórdios à República de Curitiba.

Ler mais: Publishnews
Ler Mais

Mesmo com feriado prolongado, venda de livros mantém curva positiva no 9º período de 2018

SNEL - 16/10/2018|

O nono* período do mercado livreiro em 2018 foi marcado por resultados positivos, em comparação ao mesmo intervalo no ano passado. Mesmo com o feriado prolongado de 07 de setembro, as vendas nessa época apresentaram crescimento de 3,65% em volume e de 5,37% em faturamento, seguindo a tendência de recuperação das edições passadas.

No acumulado de 2018**, o cenário permanece positivo, com alta de 5,70% em volume e de 9,33% em valor. “Apesar de todas as incertezas político-econômicas do Brasil e de um cenário pouco harmonioso envolvendo os players do mercado livreiro, o consumo de livros vai na contramão, se encaminhando para um bom fechamento de ano” comenta Ismael Borges, gestor do Bookscan Brasil.

Ler Mais: SNEL
Ler Mais

Festival Internacional de Literatura Infantil de Garanhuns abre inscrições para ateliês

G1 - 16/10/2018|

O Festival Internacional de Literatura Infantil de Garanhuns (Felig), no Agreste de Permanbuco, acontecerá de 18 a 20 de outubro e está com inscrições abertas para ateliês. Serão seis turmas, com 25 pessoas cada, com o objetivo de abordar os processos criativos, promover a troca de experiências e o compartilhamento do saber e fazer.
Na quinta-feira (18), das 14h às 16h, a primeira turma do Ateliê de Criação será comandada pela escritora e ilustradora Marilda Castanha. Em seguida, das18h às 21h, a escritora, designer e ilustradora argentina Vanina Starkoff vai ministrar o Ateliê Filig de Narrativas Visuais. Na sexta-feira (19), o escritor e líder indígena Yaguarê Yamã estará à frente, das 14h às 16h, do Ateliê da Criação e, das 18h às 21h, a mineira Marilda Castanha falará no Ateliê Filig de Narrativas Visuais. No último dia de Festival, serão dois Ateliês de Criação. O primeiro, das 9h às 11h, com a roteirista, escritora e atriz Rita Carelli; e o segundo, das 14h às 16h, com Vanina Starkoff.
Seguindo o tema central “Um povo em forma de histórias”, estão na programação os Ateliês de Criação, que se debruçam sobre o ofício da escrita, e os de Narrativas Visuais, com olhar sobre a ilustração. São esperados professores, mediadores de leitura, estudantes de áreas relacionadas, designer, ilustradores e demais interessados.

Ler Mais: G1
Ler Mais

OUTLET DE LIVRO – PREÇO É COM A GENTE!

Todo mundo adora uma promoção... E, com os amantes do livro, isso não é diferente. Os caçadores de preciosidades literárias estão ávidos por tesouros escondidos e, cada um com sua preferência, têm um ponto importante em comum: adoram uma pechincha! Pensando nisso, acaba de chegar em Belo Horizonte um oásis para quem quer achar excelentes livros com preços extremamente atrativos. O OUTLET DE LIVRO, que abre suas portas na rua Paraíba, 1.419, Savassi (ponto emblemático da região, antiga livraria Mineiriana), neste dia 10 de outubro (quarta-feira), vai oferecer aos consumidores mineiros um grande estoque de livros novos em três preços básicos sugeridos: R$ 9,90 / R$ 14,90 / 19,90.
Há um ano e meio, o OUTLET DE LIVRO já propicia essa experiência através da internet. No site www.outletdelivro.com.br são mais de 200 mil livros, com descontos que alcançam até 90% para o cliente se deleitar com o maior e melhor acervo de promoções, desde livros infantis, literatura e poesia, até livros didáticos, técnicos, jurídicos, de medicina e importados. Assim, um dos atrativos é que o consumidor possa continuar comprando na loja virtual e possa retirar seu livro na nova loja física da Savassi. Lembrando que são comercializados somente livros novos.

CENÁRIO ATUAL

Segundo José Henrique Guimarães, mineiro, mas residindo hoje em São Paulo, CEO do Grupo Acaiaca (que compreende a Distribuidora Acaiaca, a Acaiaca Digital – distribuidora de e-books –, o site de e-commerce e a loja física Outlet de Livro), a venda de livros no varejo cresceu, em 2017, 6,15% e, em 2018, já acumula um crescimento de 9,33%, segundo dados do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL), reflexo do maior acesso à compra de livros por consumidores pelos canais convencionais e pela internet, com livros físicos e digitais.
O empreendedor e administrador formado na UFMG – que foi presidente da Câmara Mineira do Livro no período de 1998 a 2002 e fundador do Salão do Livro de Minas Gerais – identificou essa oportunidade no mercado brasileiro muito explorado em mercados mais maduros como o norte-americano e o europeu. “Esse novo canal do e-commerce com lojas físicas de ponta de estoque atende, por um lado, a demanda de consumidores de livros – desde o leitor contumaz até aquele que quer ter acesso a livros a baixo custo – e, por outro lado a indústria, no caso editoras, que precisam desovar estoques de baixo giro”, explica Guimarães.
O e-commerce de livros já representa aproximadamente 40% das vendas de livros no varejo. Assim, as livrarias físicas são forçadas a adaptar o seu modelo de negócios para atender às novas demandas do consumidor e buscar eficiência. “Ser eficiente é fazer mais com menos. O varejo do livro como é hoje, inclusive o conceito muito difundido de megastores, precisa ser revisto pois têm custos muito altos e margens baixas”, conta.
José Henrique Guimarães também revelou que a loja OUTLET DE LIVRO, além de oferecer obras com preços baixos, vai buscar parcerias com o terceiro setor para encaminhar livros dos excessos do próprio outlet ou de editoras que preferem doar seus livros a vender mais barato. A intenção é fazer a ponte junto a ONGs, bibliotecas e secretarias de educação para esse encaminhamento de livros de baixo giro.

ABERTURA DA LOJA E SEMPRE UM PAPO

Neste dia 10 de outubro (quarta-feira), a partir das 19h30, a loja OUTLET DE LIVRO abre suas portas na rua Paraíba, 1.419, Savassi, em parceria com o projeto Sempre um Papo. Na ocasião, o cientista político Newton Bignotto e a historiadora Heloisa Starling conversam sobre o livro “Como Ganhar uma Eleição”, escrito pelo general e político Quintus Cicero. O subtítulo diz tudo: “Um manual político da Antiguidade Clássica para os dias de hoje”. As estratégias políticas do tempo de Cícero mostram-se atuais e revelam que o jogo pelo poder envolve promessas falsas, manipulação e corrupção desde a Roma Antiga até os dias de hoje. Edição da Bazar do Tempo. A entrada é franca, num patrocínio da Cemig, com o apoio do Itaú, Rede Mater Dei de Saúde, via Lei Federal de Incentivo à Cultura, do Ministério da Cultura.

Informações: 31 32611501 – www.sempreumpapo.com.br Informações para a imprensa: Jozane Faleiro / jozane@sempreumpapo.com.br/ (31) 99204-6267

Ler Mais

Fundação Biblioteca Nacional abre edital para coedição de livros

Ministério da Cultura - 11/10/2018 |

A Fundação Biblioteca Nacional (FBN), entidade vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), abriu nesta quarta-feira (10) inscrições para edital que busca estabelecer parcerias com editoras, por meio de coedições de livros e pesquisas sem ônus para fundação. O objetivo é apoiar obras inéditas ou reedição de títulos esgotados ou fora de catálogo, de modo a promover publicações em forma de livro impresso ou digital. A ideia é divulgar e valorizar produções de relevância para a cultura brasileira, promovendo o acesso ao patrimônio bibliográfico, iconográfico, sonoro e digital que a BN possui e recomenda.

Podem participar do edital instituições públicas ou privadas sem fins lucrativos e organizações da sociedade civil que tenham entre suas finalidades a realização de projetos culturais e/ou a edição de livros.

Cada proposta inscrita será avaliada, inicialmente, pelo Centro de Pesquisa e Editoração da FBN, quanto ao atendimento das exigências do edital – aquelas que atenderem plenamente às exigências desta chamada pública serão encaminhadas para avaliação ao Comitê Editorial instituído pela FBN.
Modelos de coedição

Há quatro modelos disponíveis de coedição. O primeiro é feito a partir de obras prontas, cujo direito autoral é da editora. Nesse caso, as obras serão reimpressas com o selo e as normas de publicação da BN. Neste modelo, a obra ganha a chancela de uma instituição bicentenária e parte do que é impresso pode ser vendido nas lojas física e virtual da BN.

O segundo formato é quando a BN tem os direitos autorias do material que será publicado. No caso, a editora tem interesse em publicar algo que tem no acervo ou que esteja sob a responsabilidade da BN. Exemplos disso são artigos científicos e pesquisas realizadas a partir de material da BN. Quando os autores conseguem editoras para publicar esses trabalhos, elas podem se associar à BN, que autoriza a publicação e, depois, recebe parte das obras impressas ou digitais, em contrapartida.

No terceiro formato, a BN ajuda a completar uma obra inacabada, sem custo nenhum, seja cedendo o uso de fotos, cartas, mapas, informações ou no apoio para obtenção de dados, contatos, etc. A fundação dá o aval institucional e permite uso dos direitos do nome e da imagem. Parte da tiragem vai para a BN para ser distribuída gratuitamente ou vendida em seus canais próprios de comercialização.

O quarto modelo serve em casos que uma editora queira publicar um livro raro ou de difícil acesso que somente a BN tem. Assim, a BN faz o projeto editorial, crítica sobre o material e dá referências. A editora imprime a obra e como contrapartida dá parte dos exemplares para BN. Tal ação permite levar novamente ao acesso público obras que não estão mais em circulação e são de relevância para a cultura brasileira.

Ler Mais: Ministério da Cultura 

Ler Mais

Brasil promulga tratado que facilita acesso de pessoas com deficiência a obras literárias

Ministério da Cultura - 11/10/2018 |


Foi publicado nesta terça-feira (9), no Diário Oficial da União, o Decreto n° 9.522, de 08 de outubro de 2018, assinado pelo Presidente da República, Michel Temer, promulgando o Tratado de Marraqueche. O tratado havia sido ratificado pelo Brasil, em dezembro de 2015, após passar por aprovação, em dois turnos, pelo Senado Federal e pela Câmara dos Deputados, tendo sido o segundo tratado de direitos humanos a ser aprovado no país sob o mesmo rito e com status de emenda constitucional. Até então, apenas a Convenção sobre Direitos das Pessoas com Deficiência havia sido aprovada com o rito especial previsto na Emenda Constitucional n° 45, de 2004, para os tratados de direitos humanos.

O Ministério da Cultura teve papel fundamental para a aprovação do tratado em 2013, tendo participado diretamente, em conjunto com a delegação brasileira, de suas negociações no âmbito da Organização Mundial de Propriedade Intelectual (OMPI). O Brasil foi um dos países, juntamente com Equador e Paraguai, que apresentaram a proposta, elaborada pela União Mundial de Cegos (WBU), no Comitê Permanente de Direitos de Autor e Direitos Conexos da OMPI, tendo trabalhado ativamente para a ampliação do número de ratificações junto a outros países para a plena implementação do tratado.

O Tratado de Marraqueche entrou em vigor em 30 de setembro de 2016, após a sua ratificação por vinte países. O objetivo principal do tratado é facilitar o acesso de bens culturais por pessoas com deficiência visual ou dificuldades de manuseio do material impresso, por meio do estabelecimento de limitações e exceções mandatórias aos direitos autorais, de modo a permitir o uso de bens intelectuais para produção e disponibilização de obras em formatos acessíveis, como o Braille, Daisy ou mesmo em audiolivro, sem a necessidade de autorização ou remuneração do titular dos direitos autorais dessas obras.

Nesse sentido, um dos principais benefícios trazidos pelo tratado é a possibilidade de ampliação do acervo de obras em formatos acessíveis, tendo em vista a previsão do trânsito transfronteiriço, que garante aos países a possibilidade de compartilhamento de obras já em formatos acessíveis. Inclusive, a OMPI elaborou um projeto, denominado Consórcio ABC, voltado para a operacionalização do Tratado de Marraqueche, por meio da disponibilização de plataforma digital para trocas de livros internacionais e de ações de capacitação e publicação inclusiva. A partir da promulgação do tratado, pelo Decreto n° 9.522, de 2018, o Brasil deverá integrar o projeto, dando início às trocas internacionais de livros em formatos acessíveis.

Ler Mais: Ministério da Cultura 
Ler Mais

Feira de Frankfurt: venda de livros brasileiros no mercado internacional deve crescer este ano

O Globo - Paulo Autran - 11/10/2018 |

Em meio à crise que desanima a compra de livros e direitos autorais na Feira de Frankfurt deste ano, que começou nesta quarta-feira (10/10), publishers brasileiros buscam ver um outro lado, mais positivo, da história: o evento tem sido encarado como uma alavanca para retomar o crescimento nas vendas.

Segundo dados do Projeto Brazilian Publishers — uma parceria Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex) e da Câmara Brasileira de Livros (CBL) para exportações —, depois de quatro anos de queda, as negociações com outros países voltaram a crescer. As vendas, que caíram de US$ 2,9 milhões em 2013 para US$ 948 mil no ano passado, de janeiro a julho de 2018 já chegaram a US$ 814 mil.

— Até o final do ano, esperamos ficar entre US$ 1,3 milhão  e US$ 1,5 milhão. Para alcançarmos esta expectativa, ainda temos que exportar entre US$ 480 e US$ 680 mil — calcula o gerente do projeto, Luiz Alvaro Salles Aguiar de Menezes, animado com as perspectivas da feira alemã, o maior evento do mercado editorial do mundo. — Nossa expectativa de negócios para Frankfurt 2018 é de US$ 650 mil. Não só no evento, mas nos próximos 12 meses. Isso porque Frankfurt não é apenas uma excelente oportunidade de negócios para os empresários, mas o início da nossa preparação para o ano seguinte. É aqui que iniciamos as negociações para as participações nas feiras de Buenos Aires e Bogotá.

Ler Mais: O Globo
Ler Mais

Quarta edição de Festival Literário do Sesc-AM inicia nesta quarta, em Itacoatiara

G1 - 11/10/2018 |

A partir desta quarta-feira (10), será realizada a 4ª edição do Festival Literário do Sesc Amazonas, o evento acontece na Praça Central de Itacoatiara e segue até domingo (14), das 8h às 21h. A programação que tem entrada gratuita contará com espetáculos de teatro, música, dança, cinema, oficinas, palestras, contação de histórias, gincanas e curiosidades científicas.
Com o tema “Cidade – espaço de vida, palavras e poesias”, o festival retorna a Itacoatiara trazendo uma programação que contempla a formação de leitores, além da valorização do livro e da leitura. Este ano o escritor homenageado será o amazonense Aldisio Filgueiras. Nascido em Manaus, em 1947, Aldisio teve sua estreia literária em 1968, com o livro de poemas “Estado de Sítio”, que teve circulação proibida pela censura.
Porto de Lenha, um dos maiores sucessos da música regional, foi composta pelo escritor homenageado em parceria com o compositor Torrinho. Aldisio também é membro da Academia Amazonense de Letras e escreveu obras como “Malária e outras canções malignas”, “A República muda, “Manaus – as muitas cidades: 1987-1993”, “A dança dos fantasmas”, “Nova subúrbios” e o último lançamento “Cidades de Puro Nada”.
Uma grande estrutura está sendo montada para atender os visitantes do festival, parte do evento ocorrerá em uma tenda climatizada com 500m² de diversas oportunidades literárias e recreativas, como livros, atividades educativas e entretenimento. Do lado de fora da tenda, alguns ambientes ao ar livre integrarão o festival, como uma unidade móvel do Bibliosesc, que permite à população acesso à livros de vários estilos e segmentos. E o palco principal onde ocorrerão atrações, como shows musicais, teatro e dança.
A ação também tem como objetivo envolver instituições e empresas, chamando-as à responsabilidade social na formação da população, na preservação e promoção da cultura brasileira e na participação da cultura regional amazônica. Que este ano conta com a parceria do Banco da Amazônia, Caixa Econômica Federal e Governo Federal, Sidi Telecomunicações, Mil Madeiras, Paco Uniformes e o Senac AM.

Ler Mais: G1
Ler Mais

Livro de Ana Costa é selecionado para o Prêmio Talentos Helvéticos-Brasileiros

Ana Costa, autora dos livros “Razão para ser louca” e Volta, se houver motivo para voltar”, publicados pela Scortecci Editora, concorre ao Prêmio Talentos Helvéticos-Brasileiros.

  Todos os anos, a Helvétia Edições (Genebra-Suíça) promove o Prêmio Talentos Helvéticos-Brasileiros, o qual visa levar ao público obras de destaque no âmbito literário brasileiro, possibilitando a divulgação e o reconhecimento em território internacional.

Este ano, os  jurados estiveram empenhados na seleção dos livros,  dos 300 inscritos durante 3 meses. Foram levados em consideração os seguintes critérios: criatividade, design, conteúdo e linguagem utilizada.

O livro  “Volta, se houver motivo para voltar” (Scortecci Editora) foi selecionado na categoria de melhor livro biográfico, cuja premiação será em abril de 2019, na cidade de Genebra – Suíça.

Os vencedores do Prêmio participarão do 33º Salão do Livro e da Imprensa de Genebra, com sessão de autógrafos. O principal objetivo deste evento é promover as obras dos autores lusófonos no território europeu.

Atualmente, a Suíça conta com mais de 300 mil imigrantes lusófonos, o que repercute na circulação deste público no Salão. Participará como convidada de honra da Helvétia Edições, também com sessão de autógrafos, a escritora Ana Maria Machado, ex-presidente da Academia Brasileira de Letras e ocupante da cadeira número 1 da mesma Instituição.

No mês de Outubro também acontece o IV Salão do Livro de Lisboa e Covelhã (Portugal), onde será lançado o livro “Razão para ser louca” (Scortecci Editora), cujo objetivo, também é divulgar os autores lusófonos no mercado mundial. 


Ler Mais

Caravana de Leitura Filig' é realizada durante Festival Internacional de Literatura Infantil, em Garanhuns

G1 - 09/10/2018 |

O Festival Internacional de Literatura Infantil vai realizar a Caravana de Leitura Filig em Garanhuns, no Agreste de Pernambuco, na quarta-feira (10). A ação irá levar mediação de leitura para alunos de escolas municipais e para a Praça Colunata, com acesso gratuito para crianças e adultos.
A agenda de mediação começa às 8h na Escola Jaime Luna e segue às 10h na Julião Capitó. A expectativa é que aproximadamente 500 estudantes participem do momento, que será comandado pela mediadora e professora Yalle Feitosa. À tarde, às 13h30, a ação vai acontecer na Praça Colunata, no bairro de Santo Antônio, com acesso aberto ao público.

Ler Mais: G1 
Ler Mais