Vovô, conta uma historinha! Um livro para crianças que todo adulto deveria ler

Vovô, conta uma historinha! (AzulSol Editora), do publicitário Orlando Marques, será lançado na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, à Avenida Paulista, 2.073, no dia 25 de junho próximo, às 10 horas. A data não é aleatória ou determinada pela conveniência das agendas de todos os envolvidos. Nesse dia, Eduardo Brandão, o Dudu, neto do autor, faria nove anos. O menino despediu-se precocemente da vida em acidente aéreo ocorrido em 14 de novembro de 2019, no Sul da Bahia, no qual também morreram sua mãe, Marcela Brandão Elias, e sua tia, Maysa Marques Mussi.

Orlando perdeu as duas filhas e o único neto, mas teve força e coragem suficientes para cumprir a promessa feita ao garoto, numa das muitas noites em que desfrutava a alegria de recebê-lo em sua casa, quando, ao colocá-lo para dormir, embalava seu sono com deliciosas histórias. Numa dessas ocasiões, Dudu disse que gostaria de repeti-las para seus amigos, mas que não sabia narrá-las como o avô fazia. “Por que a gente não faz um livro contando essas nossas histórias?”. 

Orlando concordou e respondeu: “Então, vamos fazer o livro, mas você vai contar as histórias para seus amiguinhos, e vamos lançar numa tarde de autógrafo no dia do seu aniversário”. Promessa cumprida! No texto de apresentação, o autor exprime sua grande expectativa quanto à obra: “Espero que os amiguinhos do Duduzinho matem um pouco da saudade dele e peçam aos seus pais e avós que leiam, inventem e contem sempre muitas histórias para eles”.

Muitas das que Orlando contava ao neto, de modo ainda mais entusiasmado nos dias de jogos do Flamengo, o time de futebol do coração, são remanescentes da tradição familiar. “Uma gostosa lembrança que tenho do meu pai é a Deda, minha irmã mais velha, e eu sentados em seu colo e ele nos contando histórias, enquanto minha mãe fazia pipoca ou assava pinhões nas cinzas quentes do fogão de lenha”. 

Orlando relata, ainda, que o título do livro deveria ser Histórias do Duduzinho. “Antoninho Rossini, meu amigo, jornalista e escritor, sugeriu Histórias que o vovô Lando contou só para mim e que eu vou contar para vocês. Mas, outro amigo, também jornalista e escritor, Ricardo Viveiros, sugeriu Vovô, conta uma historinha!, que era a exata frase de todas as noites, antes de Duduzinho pegar no sono”.

 Viver é um ato de coragem

 No prefácio do livro, Ricardo Viveiros faz uma reflexão sobre as perdas como sofreu Orlando: “Para a dor causada por quem vai embora cedo, quando o destino inverte a lei natural da vida, a saída é evitar a tristeza, dando espaço em nosso coração e mente apenas à saudade. Assim foi quando perdi Ricardo e Mariana, filho e neta, em desastre de trânsito. Assim aconteceu com meu amigo”.

Viveiros relata que, à época da morte de seus descendentes, escreveu O poeta e o passarinho, para ajudá-lo a entender os mistérios da Vida. “Orlando, agora, escreve uma emocionante memória. Este livro é um exercício de sobrevivência, um ato de amor e esperança, uma demonstração de ternura diante da saudade que, teimosa, insiste em cutucar a alma (...). Viver é um ato de coragem. Esta obra traz a certeza disso, com alegria e sem mágoa”, pondera o jornalista e escritor, que é presidente da Ricardo Viveiros & Associados -- Oficina de Comunicação (RV&A) e da AzulSol Editora. 

Obra lúdica e emocionante 

Vovô, conta uma historinha tem 40 páginas de pura emoção, saudade e relatos de momentos mágicos e felizes. O conteúdo, que repete as saborosas narrativas de Orlando ao neto, é baseado em fatos da fazenda da família, quase fábulas de animais. Muitas são baseadas em fatos reais, mas criativa e docemente aumentados e adaptados, para produzir os sonhos a que toda criança tem direito.

O livro é ricamente ilustrado por Sérgio Merli, designer e escritor de obras infantojuvenis. Formado em Marketing, atuou em agências de publicidade e editoras, lecionou artes gráficas e montou sua empresa, a Merli Design, na qual cria estratégias para empresas, além de escrever e ilustrar livros. 

Informações para a Imprensa 

Ricardo Viveiros & Associados (RV&A)
Paulo Fortuna
(11) 96569-8872
paulo.fortuna@viveiros.com.br
Daniel Lobo
(21) 99658-3940
daniel.lobo@viveiros.com.br

Ler Mais

ANCARA, NA TURQUIA - BIBLIOTECA COM 4 MILHÕES DE LIVROS

Istambul, maior cidade da Turquia, antiga Constantinopla, foi a capital do Império Romano (330–395), do Império Bizantino (ou Império Romano do Oriente) (395–1204 e 1261–1453), do Império Latino (1204–1261) e, após a tomada pelos turcos, do Império Otomano (1453–1922). Istambul, localizada entre o Corno de Ouro e o Mar de Mármara, no ponto em que a Europa encontra a Ásia, foi na Idade Média, a maior e mais rica cidade da Europa. A partir de 1923 deixou de ser capital, posto assumido por Ancara, localizada no centro da Turquia, distante 545 km, de Istambul. Em 20 de fevereiro de 2020, Ancara, inaugurou uma das maiores e mais belas bibliotecas do mundo, com mais de 4 milhões de livros, com publicações em 134 idiomas diferentes. Ao todo são 201 quilômetros de estantes de livros, e possui capacidade de receber 5 mil pessoas. O espaço - 125.000 metros quadrados - fica anexado ao complexo presidencial do país e foi idealizado pelo governo turco, junto a intelectuais, ONGs e grupos beneficentes. Parte do acervo foi obtido por meio de doações e, além dos materiais impressos, o acervo online, disponibiliza 120 milhões de edições digitais de livros e 550.000 e-books. 


Ler Mais

LUIZA HELENA TRAJANO VAI MARCAR PRESENÇA NA 30ª CONVENÇÃO NACIONAL DE LIVRARIAS

São Paulo, junho de 2022 – A empresária Luiza Helena Trajano, presidente do Conselho de Administração da rede varejista Magazine Luiza, vai marcar presença na 30º Convenção Nacional de Livrarias.

O evento, principal encontro do setor, vai acontecer entre os dias 30 de junho e 1 de julho de 2022 no Hotel Meliá, em São Paulo.

Com tema "Tudo Começa na Livraria", a convenção é desenvolvida pela Associação Nacional de Livrarias (ANL) e promete debater as tendências do setor e a valorização do livro e das livrarias físicas.

Recentemente, Luiza teve sua trajetória contada na biografia escrita por Pedro Bial, no livro “Luiza Helena – Mulher do Brasil”, publicado pela editora Gente.

O evento reunirá livreiros, editores, gráficos, distribuidores e autoridades das instituições com o principal objetivo de promover trocas de experiências para fortalecer e aprofundar a discussão sobre os desafios e as estratégias criativas do varejo de livros, debatendo o momento atual brasileiro e contribuindo com o desenvolvimento do segmento. Além da Luiza, a 30ª Convenção Nacional de Livrarias terá a presença do ex-Presidente da República José Sarney, do dramaturgo Walcyr Carrasco e outros nomes. 

Patrocinadores e Apoiadores - Edição 2022:

Patrocinadores Master: Transpo Express, Editora Alta Books e Metabooks.

Patrocinadores Ouro: ABIGRAF-SP / SINDIGRAF-SP, Melhoramentos Editora, Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL); 

Apoio Comercial:  Distribuidora Loyola de Livros, Catavento Distribuidora de Livros; Inovação Distribuidora de Livros; DCL Editora, Planeta Editora, Livraria Saber e Ler e Krauss Editora, Editora WMF Martins Fontes;

Apoio Institucional: Abrelivros, Câmara Brasileira do Livro e FIA Business School.


SERVIÇO

30ª Convenção Nacional de Livrarias
Data: 30 de junho e 01 de julho de 2022
Local: Hotel Meliá - Av. Ibirapuera, 2534 - Indianópolis, São Paulo - SP
Mais informações www.anl.org.br 

Ler Mais

Nélida Piñon doa acervo pessoal ao Instituto Cervantes do Rio de Janeiro e ganha biblioteca em seu nome

Durante mais de seis décadas de carreira e 85 anos de vida, Nélida Piñon construiu uma vasta biblioteca, calcada na amplitude das mais diversas áreas de conhecimento, que ajudou a moldar a formação intelectual da Imortal escritora. A partir de 20 de junho, dia da inauguração do espaço, os mais de sete mil documentos de seu arquivo estarão abertos ao público no Instituto Cervantes do Rio de Janeiro, um marco de sua ligação profunda com a Espanha, de onde vem sua família, especificamente da região da Galícia. E um presente para seu país e a cidade onde nasceu, as flores em vida que a premiada autora hispano-brasileira — Piñon recebeu a cidadania espanhola no início deste ano — deixa como legado. 

“A linha do horizonte que marca o limite do meu olhar me permitiu fundir essas duas terras, Espanha e Brasil, como se fossem de uma única família. Eu sou todas as civilizações que vieram para este acampamento brasileiro”, afirma a escritora, a primeira autora de língua não espanhola a receber tal homenagem. “Desde menina, eu guardava tudo. Eu fui entendendo que precisava deixar rastros. E eles são fundamentais para a sua existência, sua arte, do coletivo que você é. Isso pautou minha vida, a consciência da responsabilidade das coisas. Não fui levada pela vaidade, mas por um sentimento de brasilidade. Sempre digo um mote: se o Machado de Assis existiu, o Brasil é possível”. 

Além de objetos de arte selecionados pela própria autora, destacam-se na Biblioteca Nélida Piñon obras sobre balé, história da Idade Média, Machado de Assis, literatura clássica, religião, clássicos franceses e ingleses, ópera e biografias, assim como a biblioteca particular herdada da lexicógrafa Elza Tavares.

 Outro tesouro é a coleção Galícia de Piñon, que reúne obras sobre a cultura e literatura da região espanhola, incluindo publicações sobre as localidades de seus ancestrais galegos. “A Galícia é o meu mito. Uma espécie de terra prometida. Ali, na região de Cotobade, vi como é difícil brotar a espiga de milho, exigindo do agricultor o mesmo cuidado que o escritor dá ao seu ofício, quando cunha cada palavra. Como consequência, carrego na alma o estigma da sobrevivência, herdado de gente do mar e da montanha”, resume.

Segundo Antonio Maura, diretor do Instituto Cervantes do Rio de Janeiro, o conjunto bibliográfico galego trata-se de uma joia entre o material de Piñon. 

“Esta coleção veio a enriquecer o acervo especializado em Língua, Literatura e Cultura Galega, tornando-o o mais completo do Brasil”, diz Maura, que destaca a riqueza do arquivo: “Vale ressaltar que a maioria das obras do acervo doado contém dedicatórias de escritores nacionais, como Clarice Lispector, Rachel de Queiroz, Carlos Drummond de Andrade, Guimarães Rosa e Lygia Fagundes Telles, e internacionais (José Saramago, Toni Morrison, Mario Vargas Llosa, Carlos Fuentes, Concha Méndez, Gabriel García Márquez, entre outros), além de comentários e anotações à margem de várias obras pela própria acadêmica. Estes documentos constituem material imprescindível para os pesquisadores que se dedicam às investigações piñoneanas, assim como à literatura hispano-americana do século XX.

Devido a essas e outras particularidades do acervo, foi desenvolvido um projeto para o tratamento documental e catalográfico com o suporte da Rede de Bibliotecas e Centros de Informação em Arte do Estado do Rio de Janeiro -- REDARTE/RJ, que levará cerca de dois anos para ser implementado. Para tanto foi constituída uma equipe de bibliotecários especialistas no tratamento de acervos pessoais, com o propósito de disponibilizar esse conjunto documental e informacional no catálogo coletivo da Rede de Bibliotecas do Instituto Cervantes, acessível a nível mundial. 

O acesso à biblioteca e ao serviço de informação, documentação e referência é livre e gratuito. Para acessar os serviços de empréstimo é necessário ser titular da carteira da biblioteca. O acervo geral de livre acesso está em língua espanhola.

 Nélida Piñon nasceu no Rio de Janeiro em 1937. Graduada em jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, sua estreia na literatura foi com o romance “Guia-mapa de Gabriel Arcanjo”, lançado em 1961. Traduzida em mais de 30 idiomas, sua obra contempla gêneros como conto, romance, crônica, memória e ensaio. 

Em 1989, Piñon foi eleita para a cadeira número 30 da Academia Brasileira de Letras (ABL), posto ocupado anteriormente por Aurélio Buarque de Holanda. Sete anos mais tarde, tornou-se a primeira mulher a presidir a instituição em um século de história. 

Além de galardões como o Jabuti e o Casa de las Américas, recebeu o Premio de Literatura Latinoamericana y del Caribe Juan Rulfo, o Prêmio Ibero-Americano de Narrativa Jorge Isaacs, o XVII Prêmio Internacional Menéndez Pelayo e o Prêmio Príncipe de Astúrias de Letras. É doutora Honoris Causa por universidades da França, Espanha, EUA, Canadá, México e Brasil. 

Em janeiro de 2022, em ato no Consulado da Espanha no Rio de Janeiro, Piñon recebeu formalmente a nacionalidade espanhola, concedida pelo Conselho de Ministros da Espanha em novembro de 2021. 

O Instituto Cervantes foi fundado em 1990 e, hoje, possui 80 centros por todo o mundo, com 10% deles no Brasil. A Rede de Bibliotecas do Instituto Cervantes -- RBIC -- é a maior rede de bibliotecas espanholas do mundo, presente em mais de 30 países, com um acervo total de mais de 1,5 milhão de documentos. Suas coleções bibliográficas reúnem obras sobre as culturas e letras da Espanha e Hispano-América, tendo como função primordial oferecer uma perspectiva completa, representativa e equilibrada das realidades culturais espanhola e hispano-americana: língua, literaturas, história, filosofia, ciência, música, cinema e teatro, entre outras, através de seus documentos.

Concebida como um centro de informação e documentação especializada nas línguas, culturas e literaturas da Espanha e Hispano-América, a biblioteca do Instituto Cervantes do Rio de Janeiro é um dos centros da RBIC no Brasil, tendo iniciado suas atividades em agosto de 2004. 

Desde sua abertura, a biblioteca atende à demanda de usuários tanto da cidade quanto de outras partes do mundo. Uma das preciosidades de seu acervo é a Coleção Local, cujas seções reúnem obras únicas, singulares e raras, representativas e significativas para o estudo e a compreensão das relações culturais, históricas, artísticas e literárias entre o Brasil e o mundo hispânico. Esta coleção começa a formar-se logo de sua criação em 2004, com a doação de Eduardo Albertal, antigo funcionário da Nações Unidas (ONU) no Rio de Janeiro, de obras hispano-americanas publicadas por editoras sul-americanas na década de 1950. 

Instituto Cervantes do Rio de Janeiro
Rua Visconde de Ouro Preto 62, Botafogo - Rio de Janeiro
CEP 22250-180 - RJ
(21) 3554 5910
adx3rio@cervantes.es, adx4rio@cervantes.es

Sérgio Luz
(+351) 938873987
sergio.luz@lupa.inf.br

Ler Mais

Shopping Pátio Paulista celebra centenário de José Saramago com exposição inédita no Brasil

São Paulo - junho de 2022 - O Shopping Pátio Paulista, em parceria com o Museu da Língua Portuguesa e a Fundação José Saramago, recebe, entre 3 de junho e 3 de julho, uma exposição inédita no Brasil sobre a vida e obra do escritor português, vencedor do prêmio Nobel.

Totalmente gratuita, a mostra batizada de Voltar aos Passos que Foram Dados celebra o centenário de Saramago, convidando o público a fazer uma viagem pela biografia literária do autor de Ensaio Sobre a Cegueira. Através de cópia dos textos, fotos e documentos do acervo da fundação portuguesa, os visitantes mergulham nas ricas palavras de Saramago e entendem sua intensa ligação com as palavras e o mundo. Além disso, a exposição, bem intimista, conta com uma linha do tempo que estampa os livros do escritor.

É uma honra para o Shopping Pátio Paulista receber esta exposição inédita no Brasil. Ações como essa reforçam o compromisso do empreendimento com a cidade de São Paulo. A cultura é um de nossos principais pilares e esperamos que este seja o primeiro passo de uma longa e frutífera parceria com o Museu da Língua Portuguesa e a Fundação José Saramago”, celebra Gabriel Lima, líder de Marketing do Shopping Pátio Paulista.

A exposição acontece no Piso 13 de Maio do Shopping Pátio Paulista, próximo à loja Fast Shop, e pode ser visitada das 12h às 22h de segunda à sábado, domingos e feriados das 14h às 20h. Para visitar a exposição basta acessar o APP do Shopping Pátio Paulista e resgatar o cupom da exposição.

Nascido em 1922, José Saramago foi premiado com o Nobel de Literatura em 1998. O escritor português venceu também o Prêmio Camões, o mais importante da língua portuguesa. Entre suas principais obras estão também Ensaio Sobre a Lucidez, O Evangelho Segundo Jesus Cristo e As Intermitências da Morte.

SERVIÇO

Exposição “Voltar aos passos que foram dados”
Quando: de 3 de junho a 3 de julho
Local: Piso 13 de Maio -- Shopping Pátio Paulista
Horário de funcionamento: das 12h às 22h de segunda à sábado, domingos e feriados das 14h às 20h.
Entrada Gratuita via apresentação de cupom disponível no APP Shopping Pátio Paulista
Horários de funcionamento do Shopping Pátio Paulista
Lojas: 10h às 22h -- de segunda a sábado / 14h às 20h - aos domingos e feriados
Praça de alimentação e restaurantes: 10h às 22h (segunda a sábado) / 11h às 22h (aos domingos)
Endereço: Rua Treze de Maio, 1947 - Bela Vista -- São Paulo -- SP

Sobre o Shopping Pátio Paulista

No coração de São Paulo e próximo à Avenida Paulista, o Shopping Pátio Paulista é um dos principais centros de compras do estado e ponto de encontro de mais de 1,2 milhão de pessoas por mês. Com 41 mil m² de ABL (Área Bruta Locável), o centro de compras é administrado pela Ancar Ivanhoe, uma das cinco maiores empreendedoras de shopping do Brasil. Atualmente, o shopping tem mais de 270 lojas, distribuídas em sete pavimentos, sendo um ocupado pela loja Renner e outro pela academia BodyTech e a clínica médica CEMA. Oferecendo ao público diversas opções de lazer, desde grandes restaurantes, como Outback, Andiamo, Pecorino e Frutaria São Paulo, além de duas redes de cinema, sendo sete salas da rede Cinemark e duas salas Splendor, da rede PlayArte, o Pátio Paulista conta ainda com cinco pisos de estacionamento.

Sobre o Museu da Língua Portuguesa 

Aberto originalmente em 2006 e reinaugurado em 2021 após obras de reconstrução e restauro, o Museu da Língua Portuguesa foi pioneiro no Brasil ao utilizar tecnologia e interatividade para valorizar o idioma como patrimônio cultural imaterial. O museu fica na Estação da Luz, no Centro de São Paulo, e recebe visitantes de terça a domingo, das 9h às 18h (com entrada até as 16h30). Até 24/7, está em cartaz no Saguão B, com entrada gratuita todos os dias, a instalação O Conto da Ilha Desconhecida, obra infanto-juvenil de José Saramago. Para mais informações, visite Museu da Língua Portuguesa 

Ancar Ivanhoe

Pioneira no setor de shopping centers, a Ancar Ivanhoe é uma das líderes do mercado, com mais de 40 anos de atuação. Sua história teve início na década de 70, quando ingressou na indústria como uma das responsáveis pelo desenvolvimento do segundo shopping construído no Brasil: o Conjunto Nacional Brasília. Em 2006, associou-se à canadense Ivanhoe Cambridge, líder global de serviços imobiliários, e continuou sua trajetória em constante expansão. Após mais de uma década de parceria, a Ancar Ivanhoe tornou-se uma das cinco maiores empreendedoras e administradoras de shopping center do Brasil, presente nas cinco regiões do país. Com mais de 3 mil colaboradores espalhados em 28 empreendimentos, a empresa é a única do setor há 11 anos na lista do Instituto Great Place To Work. Para mais informações, acesse o site.

Informações à Imprensa - Shopping Pátio Paulista (Ancar Ivanhoe)

GOLIN
AncarSP@golin.com
Roseanne Café
11 9 8620 4444

RSantos@golin.com
Rosangela Sousa
11 9 9936 7428

Ler Mais

A Feira do Livro do Pacaembu

Evento inédito e gratuito ocorre durante cinco dias, de 8 a 12 de junho de 2022, na praça Charles Miller, em frente ao Estádio do Pacaembu. Mais livros, menos carros! Durante cinco dias, uma área normalmente destinada ao estacionamento de automóveis vai dar lugar a um evento raro na cidade de São Paulo: uma feira de livros de rua, totalmente gratuita, com participação de mais de 50 convidados nacionais e internacionais e mais de 120 editoras, livrarias e instituições ligadas ao livro e à leitura. De quarta, 8 de junho, a domingo, 12, A Feira do Livro vai receber leitores, escritores, editores e livreiros na praça Charles Miller, em frente ao Estádio do Pacaembu.

A iniciativa é da Associação Quatro Cinco Um, ONG voltada para a difusão do livro no Brasil, e da Maré Produções, empresa responsável pela produção e pela realização de importantes exposições de arte no país. A Associação Quatro Cinco Um publica a revista homônima e é responsável pela editora Tinta-da-China Brasil, entre outros projetos em torno da cultura do livro.

Segundo os organizadores – o editor Paulo Werneck e o arquiteto Álvaro Razuk – o objetivo é valorizar a produção editorial brasileira e o espaço público, dando novas possibilidades de uso ao patrimônio histórico da cidade.

Abertura

A partir de quarta (8), 15h, o público poderá conhecer as novidades do mercado brasileiro que as editoras e livrarias selecionaram para levar à feira. A abertura oficial, às 17h, será no Palco da Praça com o ZAP!, slam do Núcleo Bartolomeu de Depoimentos, que lança um livro pela editora Perspectiva sobre sua trajetória. O ZAP! é pioneiro dos slams – batalhas de poesia falada – que se espalharam pelas ruas e periferias de todo o Brasil. Os integrantes do Núcleo vão assinar livros após a apresentação. 

Às 19h, Lilia Schwarcz e Mia Couto conversam sobre Os livros em praça pública e também autografam seus livros na Tenda Dois Pontos.

Na quinta-feira, a programação de debates começa às 10h, com Ailton Krenak e Yussef Campos, e vai até o encerramento, às 21h — o mesmo horário se repete nos dias seguintes, até domingo.

Mais livros, menos carros!

As editoras e livrarias vão expor os seus lançamentos e acervos em tendas espalhadas pela grande rotatória que fica em frente à fachada histórica do Pacaembu, um dos mais importantes edifícios do patrimônio histórico paulistano. Essa área de 15 mil metros quadrados estará fechada para o trânsito e vai reunir também espaços para oficinas sobre a cultura do livro, como contação de histórias, encadernação manual e outras atividades. Na marquise do estádio, 25 expositores vão mostrar sua produção em bancadas.

Parceira da feira, a Associação Vaga Lume, especializada na formação de mediadores de leitura e na criação de bibliotecas na Amazônia, vai realizar oficinas e mediações de leitura em um espaço destinado a esse fim.

Programação de autores

As mesas literárias serão realizadas em dois espaços distintos. Na programação foram reunidos autores populares e queridos pelo público, como Djamila Ribeiro, Carla Madeira, Drauzio Varella, Ailton Krenak e Jeferson Tenório. A escritora angolana Yara Nakahanda Monteiro, o francês Bill François, a espanhola María Dueñas e o moçambicano Mia Couto são os convidados internacionais. Temas como urbanismo, direitos humanos, ciência, relações amorosas, política e história estão na pauta de quase cinquenta debates programados.

Acesso livre

Um palco ao ar livre – o Palco da Praça – vai receber parte dos debates de autores. O acesso é livre a todo o público, sem necessidade de retirar senhas ou ingressos. Ao lado desse palco, na Tenda dos Autógrafos, montada em parceria com a livraria Dois Pontos, os autores vão assinar seus livros após os debates.

O auditório Armando Nogueira, no Museu do Futebol, será o palco de mesas que vão ocorrer paralelamente aos da praça. O acesso ao auditório é gratuito, mas limitado à lotação do espaço.

Futebol também é cultura

O Museu do Futebol é parceiro da Feira do Livro e debates sobre o esporte serão realizados como parte da programação oficial da Feira do Livro. Haverá também uma tenda com curadoria de livros sobre o tema. Durante o evento, o Museu do Futebol não só estará aberto como também oferecerá meia-entrada a todos, no valor de R$ 10. Lá, visitantes poderão conferir a exposição de longa duração do museu. São quinze salas que ocupam 6 mil metros quadrados e mostram como as histórias do futebol e do Brasil se entrelaçam (inclusive por meio da literatura).

De quinta a domingo, a instituição funciona das 9h às 17h (com permanência até 18h). Ingressos podem ser adquiridos on-line ou na bilheteria. Crianças de até 7 anos não pagam. 

Ciência na praça 

Outro núcleo importante da programação são as mesas de ciência e divulgação científica, realizadas com apoio do Instituto Serrapilheira. A Feira do Livro vai levar para a praça Charles Miller alguns dos mais destacados autores de livros de ciência no Brasil, apresentando ao público os mais recentes debates em áreas como biologia marinha, arqueologia, história da ciência, medicina, epidemiologia e outros campos do conhecimento. 

Ocupação feminina

A programação inclui a produção de uma foto de escritoras em uma escadaria da praça, batizada pela feira como escadaria Patrícia Galvão, no domingo, às 11h. A convite de escritoras, o maior número possível de mulheres com livros publicados vai se reunir para produzir essa imagem. A fotógrafa é a paulistana Mariana Vieira

Mercado editorial em debate 

A Feira do Livro terá ainda uma programação de debates fechados, voltada para editores e profissionais do livro, montada a partir da atuação do grupo Juntos pelo Livro, que terá seu primeiro encontro presencial durante a feira. Esses debates vão discutir questões concretas do mercado editorial brasileiro, como a nova cena de livrarias, desafios de gestão, logística e políticas públicas.

Jornal da Feira

A Feira do Livro publicará durante o evento um jornal diário que vai circular em edição impressa exclusivamente na praça Charles Miller, com distribuição gratuita. O Jornal da Feira vai trazer informações e serviço sobre a programação, curiosidades, imagens e textos sobre livros e autores presentes. 

Inspiração

O modelo da Feira do Livro é inspirado nas feiras de rua de cidades como Porto Alegre, Lisboa e Madri, com editores expondo os livros em parques e praças e livre acesso do público. A Feira do Livro tem o objetivo de valorizar a produção editorial brasileira e por isso não é realizada no modelo de feiras universitárias de descontos e saldões. 

Apoios e parcerias

A direção de programação é de Paulo Werneck, editor da Quatro Cinco Um, e a direção de arte é de Álvaro Razuk, que produziu a mostra Amazônia, de Sebastião Salgado, atualmente em cartaz no Sesc Pompeia. Sem marcas patrocinadoras, A Feira do Livro tem apoio do Instituto Serrapilheira, da livraria Dois Pontos e da Embaixada da França; parceria de mídia com Folha de S.Paulo, Rádio Novelo, revista piauí e UOL e parcerias com Associação Vaga Lume, Ipsis, ISA e Museu do Futebol. O projeto contou com recursos da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo.

A Feira do Livro

Local: praça Charles Miller, em frente ao Estádio do Pacaembu
Horário: quarta, das 15h às 21h; quinta a domingo, das 10h às 21h.
Palco da Praça: livre acesso
Auditório Armando Nogueira: livre acesso, mas limitado à lotação do espaço.

Instagram: @afeiradolivro

Gabriela Valdanha
Comunicação
(11) 9 7195-9063
comunicacao@associacao451.org.br



Ler Mais

LIVRO ACESSÍVEL - Mas, afinal, o que é um livro acessível?

De acordo com o TAC firmado entre o Sindicato Nacional dos Editores de Livros e o Ministério Público Federal, e em consonância com a Lei Brasileira de Inclusão, são considerados como acessíveis os formatos de arquivos digitais que possam ser reconhecidos e acessados por softwares leitores de telas ou outras tecnologias assistivas que vierem a substituí-los, permitindo a leitura de voz sintetizada, ampliação de caracteres e diferentes contrastes e impressão em braile.

Dentre as opções, o ePUB3, abreviação de Electronic Publication, em inglês, ou Publicação Eletrônica, em português, tem ganhado cada vez mais espaço entre as editoras, por ser um arquivo digital padrão específico para e-books e por suportar elementos multimídia, como áudio e vídeo, para múltiplas plataformas e idiomas.

Os livros solicitados por intermédio do Portal são produzidos sob demanda e têm valor comercial. Não há gratuidade na entrega dos mesmos.

A editora providenciará o título no formato que estiver disponível em sua produção e que atenda à definição da LBI para livros em formatos acessíveis; Veja neste link;

Não serão validados pelas editoras os pedidos de títulos que não estejam mais sendo comercializados (fora de catálogo) ou que já tenham sido editados, mas cujos direitos de publicação estejam esgotados.

Como funciona?

Se você deseja comprar livros em formatos acessíveis, basta realizar seu cadastro e abrir uma solicitação de compra, na própria plataforma. Será gerado, então, um código de pedido.

Se o livro já estiver disponível em formato acessível, o atendimento do Portal informará as principais lojas virtuais que comercializam a obra. Assim, basta acessar uma das plataformas indicadas e efetuar a compra.

Caso a obra não se encontre nas lojas virtuais, a editora responsável pela publicação receberá um aviso com este pedido e, a partir daí, terá um prazo que pode variar de 05 dias úteis até 60 dias corridos para disponibilizar o título em formato acessível, de acordo com o termos do TAC.

O leitor cadastrado receberá notificações do Portal a cada atualização sobre o andamento de seu pedido e de sua validação.

A efetivação da entrega do livro solicitado é de inteira responsabilidade da editora, que poderá cobrar, no máximo, o mesmo valor de capa da versão física da obra.

https://livroacessivel.org.br/

Ler Mais

Paulo Niemeyer Filho toma posse na Academia Brasileira de Letras

Rio de Janeiro, 27 de maio de 2022 -- O médico e escritor Paulo Niemeyer Filho é o mais novo imortal da Academia Brasileira de Letras (ABL). Ele tomou posse na noite desta sexta, 27 de maio, quando passou a ocupar a Cadeira 12 da Academia, sucedendo o Acadêmico e professor Alfredo Bosi. “Coube a mim prorrogar a presença da ciência nesta casa. Desde a primeira eleição sempre tiveram médicos na Academia, ao todo 23 já passaram por aqui. Sou o 24º, num momento extremamente relevante para a ciência, que se impôs e venceu a crise pandêmica, e ganhou a confiança da população”, disse o agora imortal, Paulo Niemeyer Filho. “A medicina é uma manifestação cultural, que merece estar representada, assim a lei, o cinema, a arte, a música. Cada um na sua área tem como contribuir com o interesse da Academia”, completou.
A Academia Brasileira de Letras elegeu, no dia 18 de novembro de 2021, em sessão híbrida no Petit Trianon, o novo ocupante da Cadeira 12 de seu Quadro de Membros Efetivos, vaga com o falecimento do Acadêmico e professor Alfredo Bosi, ocorrido no dia 7 de abril de 2021. Participaram da eleição 34 Acadêmicos de forma presencial ou virtual (um não votou por motivo de saúde). Os ocupantes anteriores da cadeira 12 foram: Urbano Duarte (fundador) -- que escolheu como patrono França Júnior --, Augusto de Lima, Vítor Viana, José Carlos de Macedo Soares, Abgar Renault e Dom Lucas Moreira Neves.
A Academia recebe Paulo Niemeyer Filho com muita alegria, principalmente neste momento em que a ciência foi fundamental no combate à pandemia. A chegada deste membro mostra que a Casa quer enfatizar a importância da ciência para o país”, declarou o Presidente da ABL, Merval Pereira.

Sobre Paulo Niemeyer Filho: o Novo Acadêmico

Paulo Niemeyer Filho nasceu no dia 9 de abril de 1952, no Rio de Janeiro. Filho de Paulo Niemeyer Soares e Maria Pia Rafaela Guilhermina Alice Torres Guimarães, graduou-se pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), em 1975. Iniciou sua residência em Neurocirurgia na Clínica Neurocirúrgica Dr. Paulo Niemeyer, na Casa de Saúde Dr. Eirasm e dedicou seu primeiro ano de residência ao estudo da Neurologia e Neurorradiologia, no The National Hospital for Nervous Diseases, Institute of Neurology, University of London, Queen Square, onde estagiou como Post-Graduate Fellow.

Em 1977, foi nomeado Chefe do Serviço de Neuro-Tomografia Computadorizada da Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro. No ano seguinte, foi contratado como médico Neurocirurgião do Hospital Municipal Souza Aguiar. Em 1979, introduziu, no Brasil, nova técnica microcirúrgica para tratamento de nevralgia do trigêmio, que teve a oportunidade de aprender na University of Gainsville, na Flórida. Ao final de 1979 foi nomeado Diretor do Instituto de Neurocirurgia da Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro.

Em 1980, após exame de seleção, obteve o Título de Especialista em Neurocirurgia, outorgado pela Associação Médica Brasileira e Sociedade Brasileira de Neurocirurgia. Em 1982, foi aprovado em exame de seleção, como Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões. Foi nomeado Professor Adjunto e Coordenador do Curso de Pós-Graduação em Neurocirurgia da Fundação Carlos Chagas, em 1983. Neste mesmo ano, foi nomeado Chefe do Serviço de Neurocirurgia da Escola Paulista de Medicina, aprovado pela banca examinadora. Em 1984 completou o curso “The Use of Lasers in Neurological Surgery”, realizado no Mayfield Neurological Institute, Cincinnati, Ohio, sob a direção do Prof. John Tew. Em 1984, como Membro Fundador, foi eleito Presidente da Sociedade de Neurocirurgia do Rio de Janeiro e membro do Conselho Superior da Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro. Foi eleito Irmão da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro em 1985. Em 1986 realizou concurso para Professor Titular de Neurocirurgia da Escola Médica de Pós-Graduação da PUC-Rio, tendo sido aprovado em 1º lugar.
Em 1987, foi aprovado como Membro Internacional da Sociedade Norte-Americana Congress of Neurological Surgeon. Em 1989, foi eleito Membro do Neurotraumatology Committee do Word Federation of Neurological Societies. É Vice-Diretor da Escola Médica de Pós-Graduação da PUC-Rio, nos biênios 1992-1994 e 1994-1996 e Diretor da Escola Médica de Pós-Graduação da mesma instituição nos biênios 1996-1998 e 1998-2000.

Atualmente é Diretor Médico do Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer e Membro do Conselho da Fundação do Câncer. Na ocasião de sua candidatura como Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Experiência com a Cirurgia dos Aneurismas Intracranianos da Fossa Posterior”. Ele também é autor do livro “No labirinto do cérebro”.

Créditos: Dani Paiva/ABL




Ler Mais

Pesquisas Produção e Vendas e Conteúdo Digital do Setor Editorial Brasileiro, de 2021, revelam dados do crescimento do setor

Coordenadas pela Câmara Brasileira do Livro (CBL) e pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL), as pesquisas Produção e Vendas e Conteúdo Digital do Setor Editorial Brasileiro mostram que, em 2021, o setor apresentou um movimento de expansão, se comparado aos dados de 2020, nos levantamentos produzidos pela Nielsen Book. A pesquisa Produção e Vendas do Setor Editorial Brasileiro aponta que o faturamento das editoras com a venda de livros para todo o mercado registrou um crescimento nominal de 6% e, em termos reais, queda de 4%, considerando a variação do IPCA de 2021. Já o levantamento Conteúdo Digital do Setor Editorial Brasileiro revela um acréscimo nominal de 23% e em termos reais, 12%, no faturamento com conteúdo digital.  

O presidente da CBL, Vitor Tavares, comenta os resultados sobre a produção e vendas do setor: “Ano passado foi um ano positivo para as editoras, cenário diferente do observado em 2020, com a pandemia. Passamos por um período desafiador para o mercado, no qual precisamos ajustar nossas expectativas e buscar maneiras criativas para alcançar nossos objetivos. Foi um trabalho em parceria, para desenvolver o setor e fortalecer o livro e a leitura no país”.

Como já é tradicional, a pesquisa traz os dados totais e dos seus quatro grandes subsetores: Obras Gerais, Didáticos, Religiosos e CTP (Científicos, Técnicos e Profissionais). Em 2021, três subsetores registraram aumento no faturamento nas vendas ao mercado, sendo que o grande destaque ano passado foi o subsetor de Obras Gerais, com acréscimo de 14%, ou seja, acima da variação da inflação e do Produto Interno Bruto (PIB). Descontada a inflação, o aumento foi de 3%.  O subsetor de Obras Gerais obteve crescimento por três anos consecutivos, consolidando a curva ascendente.  O subsetor de Religiosos voltou aos níveis pré-pandemia, com expansão de 14% (nominal) e 3% (real). Já o subsetor de CTP apresentou expansão nominal importante, de 7%, embora ainda com recuo de 3%, em termos reais (descontada a inflação do período).

O subsetor de Didáticos, incluindo apenas as vendas ao mercado, é o único que apresenta queda significativa, de 14% em termos reais, e 5% (nominal), pois reflete a retração das vendas em ano de pandemia. Além disso, houve grande migração de alunos da rede privada para a pública, em decorrência da crise econômica. 

Para o presidente do SNEL, Dante Cid, que acompanha a comissão de pesquisa há muitos anos, o levantamento é uma referência fundamental para o mercado editorial brasileiro.  “Não são muitos os países que dispõem de uma plataforma desse tipo. Esta edição é muito especial, pois nos permite um retrato do mercado no contexto de um ano de pandemia comparado com um ano muito heterogêneo como foi 2020, com um misto de pré-pandemia e lockdowns intensos. Vimos o impacto disto, por exemplo, na queda dos Didáticos e no aumento da importância do e-commerce para alguns segmentos. No digital, a expectativa de um grande crescimento na participação do e-book nas vendas totais não se concretizou, apesar do significativo avanço nominal.”

A Pesquisa Produção e Vendas do Setor Editorial Brasileiro também revela que as livrarias e as livrarias exclusivamente virtuais contribuíram com fatias similares no faturamento das editoras, com participação de 29,95% e 29,86%, respectivamente. 

Os dados apurados pela Pesquisa Conteúdo Digital do Setor Editorial Brasileiro mostram que também foi registrado crescimento nas vendas de e-books, audiolivros e outras plataformas de conteúdo digital em 2021. O faturamento total teve um acréscimo nominal de 23% e em termos reais, 12%.  O faturamento foi de R$ 180 milhões no ano passado, contra R$ 147 milhões em 2020. Mesmo com esse crescimento, o conteúdo digital continua representando 6% do mercado editorial brasileiro.

Do faturamento total com conteúdo digital em 2021, R$ 125 milhões foram de vendas de e-books individuais e R$ 56 milhões foram por meio de outras plataformas de distribuição, como biblioteca virtual e serviços de assinatura de leitura digital.

Pesquisa 



Ler Mais

Festa Literária e Cultural de Itu (Flic) - 19 a 22 de maio de 2022

De 19 a 22 de maio de 2022, a histórica Itu (SP) será transformada num pólo de manifestações artísticas, literárias e culturais, a partir da Festa Literária e Cultural de Itu (Flic), que ocupa espaços como a Praça da Independência (Praça do Carmo), o Museu de Energia e o Colégio Anglo, com bate-papos com escritores contemporâneos, feira de livros, exposições, contação de histórias, shows musicais, oficinas, cinema, fotografia e diferentes outras atrações pensadas em todos os gostos e idades em uma programação gratuita e aberta ao público. A programação oficial está disponível no site do evento.
Nesta primeira edição, a escolha do festival é homenagear a “Semana de Arte Moderna de 1922”, refletindo sobre qual o diálogo dos modernistas com os nossos tempos, cem anos depois. A personalidade homenageada é Pagu, como é conhecida Patrícia Rehder Galvão, que teve grande importância durante o movimento antropofágico anos após a primeira semana, ao lado de Tarsila do Amaral e Oswald de Andrade.
A ideia de realizar a Flic em Itu veio após o organizador, o escritor Paulo Stucchi conhecer a Flip, em Paraty. Aproveitando o potencial do centro histórico da centenária Itu, ele quer transformar o ambiente num festival do interior. 

A abertura oficial do evento será no dia 19/5 (quinta-feira) às 19h, na Praça da Independência (praça do Carmo) e terá como atração da noite a slammer Mel Duarte, com o show de spoken word “Mormaço - entre outras formas de calor”, em que mescla poesia e música de uma forma ainda pouco explorada no Brasil e fala, sobretudo, de amor. 

Além do show, a abertura contará com José Renato Nalini (ex-secretário estadual da Educação e presidente da Academia Paulista de Letras), João Scortecci (presidente da Abigraf - Associação Brasileira da Indústria Gráfica, Regional São Paulo) e representantes da Academia Ituana de Letras (ACADIL), com lançamento da biografia de Maria Angela Mangeon. 

Curadoria e diversidade

Com curadoria da escritora e roteirista Ana Squilanti, o festival traz, entre os nomes confirmados estão Eduardo Suplicy, a slammer Mel Duarte, a contista Monique Malcher (vencedora do Prêmio Jabuti), os contemporâneos Leonardo Piana, Gabriela Soutello, Dias Lopes, Carolina Casarin, a escritora indígena Mayra Sigwalt, os autores de literatura marginal Alexandre Ribeiro e Jéssica Balbino, as autoras feministas e contemporâneas Clara Averbuck, Giovana Madalosso, Renata Corrêa, Mari Carrara os autores teen Olívia Pilar e Juan Julian, entre outros, tendo a diversidade como mote, propondo, além de uma releitura da Semana de Arte Moderna de 1922, um olhar para os temas, segmentos e corpos faltantes naquele momento. 

Nossa proposta no debate sobre os territórios, sobre os corpos, sobre as vozes e o que está sendo dito no nosso 2022. É importante que olhemos para o passado para conseguir enxergar nosso presente e futuro e foi esse exercício que tentei aplicar à curadoria do festival. Estou satisfeita com o resultado, porque consegui mesclar autores bem diferenciados numa mesma mesa, em um exercício de ineditismo, inclusive. Misturando nomes contemporâneos nacionais com outros de influência local em Itu”, destaca Ana Squilanti

Dentro da temática do evento, autores como Vanessa Ratton e Sérgio Biscaldi discutem a Semana de 22 no universo do livro infantil e infanto-juvenil, bem como a mesa “o mundo infantil e a literatura”, com Priscila Amaral, Nani Mazruchi, Valkiria Cecconello e mediação de Raquel Aranha, que também lança no evento o livro “A heroína mascarada”. 

Eduardo Suplicy, Mayra Sigwalt e Caco Pontes conversam com Maria Carolina Casati sobre “Territórios em 2022, os espaços na escrita e fora dela que precisamos ocupar”, Ana Squilanti e Monique Malcher conversam com Jéssica Balbino sobre “Meu corpo, minha escrita, minha semana: nosso 22”, Alexandre Ribeiro fala sobre “Os modernistas de 2022’, Adriana Armony, autora do recém-lançado “Desvendando Pagu” conversa com a especialista e entusiasta da personalidade, Taty Leite.  

No escopo da diversidade temática, Giovana Madalosso e Mari Carrara falam com Ana Squilanti sobre “Reescrever e entender suas próprias histórias”. O tema “Nossas referências: a importância de ler mulheres” é destaque numa mesa com Maria Teresa Ferreira, Rosália Maria e Thaís Steibach. A mediação é de Keyty Medeiros. Há ainda a mesa sobre memória: “Quem pode contar o passado”, com Gabriela Soutello, Mário Silva e Leonardo Piana, com mediação de Bárbara Krauss. 

Ainda dentro da Semana de 22, Dias Lopes e Carolina Casarin conversam com Ana Straube sobre “Costumes modernos do antes e agora” falando sobre gastronomia e moda da época dos modernistas. Também na Flic, Letícia Nunes, Nélida Capela e Marcelo Checchia conversam com Tadeu Rodrigues sobre “Uma Nova análise da Semana de 22”.

E, encerrando a programação literária, Renata Corrêa e Clara Averbuck falam com Isadora Attab sobre “Entre feminismos e militância: a liquidez de 2022?” 

Exposição fotográfica

O Museu de Energia (rua Paula Souza, 669, Centro) também faz parte da programação da FLIC, por isso, de quinta (19/5) a sábado (21/5) estará aberto ao público com exposições fotográficas, mostra de artistas plásticos e de cinema -- todos tendo como temática central “os invisibilizados”, ou seja, aqueles que passam invisíveis pela sociedade. A Mostra teve curadoria de Fernanda Rabello Vaz.  

Oficinas, feira de livros e outros espaços

No sábado (21), na Tenda Mista o público conhecerá mais sobre os costumes mexicanos e ainda participará de uma oficina sobre criação de PET poemas com a escritora campineira Katia Sentinaro. Além disso, terá a oportunidade de acompanhar um bate-papo com um sobrevivente do Holocausto e acompanhar o hip-hop de Felipe Dezena e Vini Alceu.  

Para Fernanda Vaz Rabello, também organizadora, a Feira sempre foi pensada como um espaço democrático.  

Queremos abrir espaço para quem produz arte mostrar seus trabalhos. Montamos um evento colaborativo, em que pessoas de diferentes locais vieram até Itu para compor uma grande programação. Teremos cinema, fotografia, artes plásticas, batalhas de hip-hop, slams, grafite. A diversidade dará o tom”, afirma.  

Vale destacar que no sábado, a Feira de Livros -- que será realizada na quadra poliesportiva do Colégio Anglo (ao lado dos Correios) durante toda a FLIC recebendo escritores para autografarem seus livros.  

Para o organizador e idealizador da Flic, Paulo Stucchi, a curadoria dos espaços do festival fez um excelente trabalho.  

Poderemos ver autores consagrados nacionalmente ao lado de autores de sucesso em seus respectivos segmentos debatendo temas de interesse de todos os que amam cultura. No atual cenário, a arte, e, claro, a literatura, é resistência.”, enfatiza. 

O festival traz também oficinas, como a de Agenciamento literário: o que os novos autores devem saber sobre publicação, com Felipe Colbert e João Scortecci e mediação de Paulo Stucchi, que também lança, durante o festival, o romance “Um de nós foi feliz”.  

Serviço - A programação completa pode ser acessada no site do evento:

PROGRAMAÇÃO:

https://vempraflic.com.br/?page_id=48




Ler Mais

Abertas inscrições para Prêmio Paulista de Excelência Gráfica 2022

PUBLISHNEWS, REDAÇÃO, 02/05/2022 - A terceira edição do Prêmio Luiz Metzler recebe inscrições até 15 de maio. Serão distribuídos 32 troféus para os melhores trabalhos impressos apresentados por empresas que atuam no estado de São Paulo.
Estão abertas até 15 de maio de 2022 as inscrições para o terceiro Prêmio Paulista de Excelência Gráfica Luiz Metzler. O prêmio foi criado para reconhecer os melhores trabalhos impressos no estado de São Paulo. É uma iniciativa da Associação Brasileira da Indústria Gráfica - São Paulo para valorizar as mais de cinco mil indústrias de impressão do estado, que juntas correspondem a cerca de 54% da produção nacional.
O profissional que dá título ao prêmio, Luiz Bertram Metzler (1941-2010) é um gaúcho com longo e marcante trabalho na indústria gráfica. Morou alguns anos na Alemanha e estabeleceu uma ponte entre as empresas dos dois países. Ele foi responsável pelo primeiro emprego de muitos alunos do Senai e também ajudou a conseguir bolsas de estudos para quem precisava.
O concurso tem coordenação técnica da faculdade de tecnologia Senai Theobaldo de Nigris. No regulamento do prêmio é possível encontrar todas as categorias contempladas. Os produtos concorrem entre seus setores industriais ou aqueles que estejam alinhados mercadologicamente. Por exemplo, no segmento de embalagens, produtos feitos para a indústria de alimentos concorrem apenas com outros produtos para o mesmo setor. As categorias de Melhor Impressão e Melhor Acabamento são avaliadas conjuntamente.
O prêmio entrega 32 troféus, em cerimônia marcada para 24 de junho de 2022, quando é celebrado o Dia da Indústria Gráfica. O troféu foi desenvolvido em parceria com o Instituto Europeo de Design, com uma proposta visual inovadora. Seu formato apresenta letras em metal referências às cores do sistema de impressão CMYK, cyan, magenta, yellow e black (ciano, magenta, amarelo e preto quando traduzidas para o português). A base do troféu é produzida em madeira de reflorestamento. O regulamento do prêmio pode ser acessado aqui.

Ler Mais

Cópia Pirata, não!


SNEL e ABDR aproveitam o Dia Mundial da Propriedade Intelectual para valorizar o trabalho autoral. Mais do que um dia de celebração, 23 de abril é uma data que propõe reflexão. Em todo o mundo é celebrado o Dia Mundial do Livro e no Brasil as editoras avaliam que é preciso aproveitar a efeméride para enaltecer a importância do hábito da leitura e buscar alternativas para os contratempos que se apresentam no país.

Dados das pesquisas Painel do Varejo de Livros no Brasil, Produção de Vendas do Setor Editorial Brasileiro e Conteúdo Digital do Setor Editorial, realizadas pela Nielsen e divulgadas pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL), apontam que em 2020 e 2021 os números de exemplares vendidos, bem como o faturamento alcançado, foram superiores à meta estabelecida. 

Ao contrário de muitos setores da economia, a pandemia trouxe um legado positivo para o livro, uma vez que o isolamento social propiciou o reencontro do leitor com a literatura. O desafio para esse ano de 2022 é a manutenção da performance, em um momento de incerteza trazido pelos impactos logísticos da pandemia e pelos recentes conflitos internacionais, que geraram aumento nos preços de combustíveis e do papel.”, afirma Dante Cid, presidente do SNEL.

A preocupação com a precificação inclui ainda os possíveis impactos gerados a partir da criação de uma alíquota de 12% a título de Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS) sobre os livros. O assunto está em pauta na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado com a Proposta de Emenda à Constituição 110/2019, que trata da Reforma Tributária. Para Dante Cid “é importante afirmar que o setor do livro concorda que é necessário simplificar a estrutura de impostos do país, mas é imprescindível manter a imunidade tributária constitucional do livro”, confirma.

O cenário também não é tão otimista se visto pela ótica do varejista. Embora o comércio online tenha reportado bons números, as livrarias físicas, principalmente as de pequeno porte, foram prejudicadas e algumas nem conseguiram se manter ativas após o período de retomada das atividades. O SNEL é sensível à causa e, mesmo não tendo livrarias em seu quadro social, está pensando em alternativas para ajudar os parceiros. “Quando o livreiro prospera, o editor também se beneficia. Somos um ecossistema e se estivermos unidos em um mesmo objetivo, todos têm a ganhar.”, reflete Dante Cid.

Se por um lado a internet é fundamental para as vendas e promoção do hábito da leitura, com o aparecimento de influenciadores digitais que publicam resenhas e divulgam livros, por outro, é preciso ter cautela no ambiente online. “Infelizmente é na rede que acontece uma das principais ameaças à saúde do setor: a pirataria digital. Essa atuação criminosa está cada vez mais recorrente, mas o setor não se cansa de lutar pelos direitos autorais. Contamos com o trabalho vigilante e competente da Associação Brasileira de Direitos Reprográficos (ABDR), que já conseguiu importantes vitórias em precedentes judiciais” comenta o Presidente do SNEL.

Para Dante Cid, no entanto, o maior desafio do mercado atualmente é criar ações e fomentar o trabalho de agentes que ampliem e democratizem o acesso ao livro em suas mais variadas formas. “Precisamos estar mais perto dos bibliotecários, líderes comunitários, escolas da rede pública e todos os amigos do livro.”, aponta.

Lis Castelliano
Gerente Executiva do SNEL
https://www.snel.org.br / https://www.abdr.org.br

Ler Mais

Portugal confirma autores para a 26ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo 2022

"É urgente viver encantado", frase do escritor Valter Hugo Mãe, um dos nomes confirmados, é o mote da participação portuguesa, que ocupará um estande de 500 m². A comitiva de Portugal, país convidado de honra da 26ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que será realizada entre os dias 2 e 10 de Julho, no Expo Center Norte, contará com 23 autores e chefs de Portugal, dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa e do Timor-Leste.
O convidado de honra terá um estande de 500 m² que inclui um auditório, uma livraria, um espaço infantojuvenil e uma área versátil, onde serão apresentadas exposições com conteúdos diversificados. A jornalista e escritora Isabel Lucas é a curadora da programação portuguesa.
Os autores confirmados são: Afonso Cruz, António Jorge Gonçalves, Dulce Maria Cardoso, Francisco José Viegas, Filipe Melo, Gonçalo M. Tavares, Joana Bértholo, José Luís Peixoto, Kalaf Epalanga, Lídia Jorge, Luís Cardoso, Maria do Rosário Pedreira, Maria Inês Almeida, Matilde Campilho, Paulina Chiziane, Pedro Eiras, Ricardo Araújo Pereira, Rui Tavares, Teolinda Gersão, Valério Romão e Valter Hugo Mãe. Juntam-se, ainda, os chefs Vítor Sobral e André Magalhães. Todos os autores possuem obra publicada no Brasil nos últimos meses ou estão com lançamentos previstos para a Bienal do Livro de SP.
Uma frase de Valter Hugo Mãe dá o mote para a participação portuguesa: "É urgente viver encantado" e expressa bem o reencontro e a partilha entre autores de língua portuguesa e o público brasileiro.
"Será um intercâmbio muito frutífero para os dois países, que já têm fortes conexões por conta da língua, da cultura e das relações comerciais", afirma o presidente da CBL, Vitor Tavares. Entre os países falantes da Língua Portuguesa, aquele com o qual o Brasil possui um dos mais fortes intercâmbios é Portugal.
Os escritores, ilustradores e chefs da comitiva portuguesa estarão em diálogo com autores brasileiros, num programa que contribuirá para promover o conhecimento e o interesse pela literatura portuguesa, e também por Portugal enquanto destino literário, cultural e turístico.
Dez editores portugueses ainda participam, nos dias 29 de junho e 1 de julho, da 3ª Jornada Profissional - rodadas de negócios com editores internacionais convidados e uma programação de palestras exclusivas, trazendo para a Bienal os principais assuntos em discussão no mercado mundial. A Jornada Profissional é uma realização do Brazilian Publishers, projeto da Câmara Brasileira do Livro em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil), com o intuito de promover o setor editorial brasileiro no mercado global. Este ano devem participar mais de 60 profissionais, com 20 vagas para convidados internacionais.
A organização da comitiva portuguesa está sob responsabilidade do Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, da Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, do Turismo de Portugal, I.P. e da AICEP - Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, entidades que integram o Grupo de Trabalho Interministerial para a organização de Feiras do Livro internacionais, em estreita colaboração com a Embaixada de Portugal no Brasil e com o Consulado-Geral de Portugal em São Paulo.
Realizada pela Câmara Brasileira do Livro (CBL) e organizada pela Reed Exhibitions Alcantara Machado, a Bienal Internacional do Livro de SP tem a expectativa de receber este ano cerca de 600 mil visitantes em uma área de 65 mil m².

https://www.bienaldolivrosp.com.br/

Ler Mais

23 DE ABRIL - DIA MUNDIAL DO LIVRO E DO DIREITO DO AUTOR / Por João Scortecci

Eu sou um livro. Um exemplar raro do romance “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, de Machado de Assis (Joaquim Maria Machado de Assis, 1839-1908), considerado o maior escritor da literatura brasileira. Fui impresso no ano de 1881, nas Oficinas da Typographia Nacional, na cidade do Rio de Janeiro, Capital Federal. Tenho pouco mais de 141 anos de vida, capa em bom estado, páginas amareladas e corpo revestido com belíssima encadernação de luxo. Uma raridade – em primeira edição – com autógrafo e dedicatória do autor, para um tal de João Scortecci. Estou catalogado e em lugar de destaque, no acervo da biblioteca de um importante bibliófilo paulistano. Tive sorte! Não sei se vocês sabem: nós, os livros, é que escolhemos nossos protetores e leitores. Um livro impresso em papel – novo ou antigo – precisa de amor, carinho, atenção e zelo! Antes de ganhar notoriedade de obra rara, passei um longo tempo em um sebo ruim, jogado literalmente às traças. Já sobrevivi a um incêndio, escapei de um vazamento de água na cabeça da lombada, sofri ameaça de descarte e de ser, literalmente, reciclado. Minha morte seria uma tragédia. Um crime! Felizmente escapei do pior. Nós, os livros, sofremos ataques e destruição por fanatismo religioso e político, depredação, maus tratos, contaminação por fungos e bactérias. Minhas páginas estão amareladas e ásperas. O tempo é cruel. É o desgaste natural causado pelos excessos de exposição a luz, umidade, temperatura inadequada e inimigos predadores, como homens, cupins, traças e roedores. Nós, os livros, gostamos de ficar em prateleiras especiais, em local afastado das paredes, ordenados verticalmente. Ventilação e limpeza são indispensáveis para a nossa sobrevivência. Não gostamos de calor e aperto. 22°C está perfeito! Temperatura excessiva faz com que as fibras de celulose percam as suas propriedades de elasticidade, flexibilidade e resistência. A umidade relativa do ar não deve ultrapassar 60%. Iluminação ambiental de 50 watts é a correta. A luz artificial mais utilizada é a fluorescente. Nunca se deve utilizar luz ultravioleta. Ela nos mata! Dia 23 de abril é o meu “Dia Mundial”, data escolhida pela Unesco para celebrar o livro, incentivar a leitura, homenagear autores e refletir sobre seus direitos legais. Essa data foi escolhida em tributo aos escritores Miguel de Cervantes, Inca Garcilaso de la Vega e William Shakespeare, que morreram em 23 de abril de 1616. Dia 29 de outubro é o meu “Dia Nacional”. Foi escolhido por ser o dia do aniversário da Biblioteca Nacional do Brasil (Fundação Biblioteca Nacional), fundada em 29 de outubro de 1810. São dias a serem celebrados todos os dias e por todos nós. Não se ama um livro vez por outra e muito menos com lapsos de memória. Nossas almas são eternas e, quando tocadas, contam histórias, fazem versos, ensinam conhecimento e propagam sabedoria através dos tempos. Eu sou um livro. E você?

João Scortecci
scortecci@gmail.com
23.04.2022



Ler Mais

CAMPANHA NACIONAL INCENTIVA A LEITURA E VISITA ÀS LIVRARIAS FÍSICAS

ANL - São Paulo, abril de 2022 – Para celebrar o Dia Mundial do Livro, comemorado em 23 de abril, a Associação Nacional das Livrarias (ANL) está promovendo a "Semana nas Livrarias". De 18 a 23 de abril e 2022, as livrarias em todo o país estarão unidas para oferecer uma programação especial, que inclui promoções, lançamentos, sessões de autógrafos, entrega de brindes e rodas de leituras regadas a trocas de ideias. O objetivo da ação é atrair o público para as livrarias físicas, um dos setores mais afetados pela pandemia.

Em um momento em que o planeta vem enfrentando uma crise sanitária, econômica e geopolítica como há muito tempo não se via, a valorização da educação e da cultura se tornam ainda mais indispensáveis. No Brasil, o mercado livreiro tem sido assombrado também por outras ameaças, como o imposto do livro e a concorrência desleal de empresas gigantes do comércio eletrônico que praticam uma política de descontos agressiva. Assim, a campanha Semana nas Livrarias chega para colocar um holofote sobre todas essas questões e valorizar o livro e as livrarias de nosso País. 

"Livrarias são muito mais que lugares de venda de livros. Estar em uma livraria se torna um momento para interagir com outros leitores, livreiros e até autores, compartilhar conhecimentos, ter uma pausa para um café, conhecer novas pessoas e ter acesso a uma maior diversidade de gêneros, autores e editoras. Nosso setor uniu forças e trouxe a Semana nas Livrarias para o Brasil com o intuito de incentivar o hábito da leitura, apresentar novos autores e trocar experiências. Serão seis dias com ações especiais para que os leitores se sintam acolhidos de forma ainda mais especial" explica Mônica Carvalho do Conselho Fiscal da ANL.

"A partir desse ano no Brasil, a Semana nas Livrarias chega com o objetivo de levar as pessoas para as nossas livrarias e destacar a importância social desse espaço de vida e de cultura. Queremos que a campanha se torne parte do calendário cultural anual, fortalecendo esse espaço ainda tão escasso em nosso país", complementa Mônica. 

Criado pela UNESCO, o Dia Mundial do Livro (World Book Day) tem como objetivo fomentar a alfabetização e o gosto pela leitura. Por isso, muitas das programações das livrarias terão as crianças como foco, com contação de histórias, apresentação de fantoches, sessões de autógrafos e lançamentos de livros infantis.

Imprensa

Comunicação ANL- Associação Nacional de Livrarias
Lorena Orsi -  11 97393 3076 / imprensa@anl.org.br
Fanpage: facebook.com/livrarias.anl/
Instagram: @livrariasanl

Para mais informações, acompanhe a ANL nas redes sociais @livrariasan e no site https://www.anl.org.br/


Ler Mais

Terceiro período do ano apresenta resultado positivo e setor editorial fecha trimestre de 2022 com ótimo desempenho

SNEL - 18.04.2022 - Conforme dados apurados pela pesquisa Painel do Varejo de Livros no Brasil, realizada pela Nielsen Bookscan e divulgada pelo SNEL, o terceiro período de 2022 foi, mais uma vez, positivo para o setor editorial, colaborando para que o primeiro trimestre do ano fechasse em elevação. Entre os dias 28 de fevereiro e 27 de março, foram comercializados 4,39 milhões de livros, registrando faturamento de R$191,58 milhões. Esses números representam crescimento de 7,52% em volume e 11,44% em valor em relação ao mesmo período do ano passado.

Ao final dos três primeiros períodos do ano, o setor acumula índices positivos e mostra performance superior à do início de 2021, quando já estava em forte aquecimento. Marcado pela retomada do Volta às Aulas, o trimestre registrou 14,56 milhões de livros vendidos com receita de R$661,30 milhões. No ano passado, a venda foi de 12,59 milhões de livros, cujo faturamento representou e R$567,63 milhões.

Para Ismael Borges, gestor da ferramenta Nielsen BookScan Brasil: “ainda que os valores acumulados de cada período sugiram uma desaceleração, a expectativa para o decorrer do ano é bastante positiva”.

Dante Cid, presidente do SNEL, também está otimista, apesar de manter cautela sobre as perspectivas futuras, devido à pressão que insumos como papel e combustíveis têm exercido sobre os preços do livro. “No entanto, é extremamente encorajador ver estes resultados positivos no mês em que se comemoram o Dia Nacional do Livro Infantil e o Dia Mundial do Livro”, conclui.

Esses são alguns dos dados do 3º Painel do Varejo de Livros no Brasil em 2022, apresentados pelo Nielsen Bookscan e pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL). Os números têm como base o resultado da Nielsen Bookscan Brasil, que apura as vendas das principais livrarias e supermercados no país.

Lis Castelliano
Gerente Executiva do SNEL
https://www.snel.org.br



Ler Mais

Prêmio São Paulo de Literatura 2022

Estão abertas as inscrições para o Prêmio São Paulo de Literatura 2022 - A Secretaria da Cultura de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo comunica que até o próximo dia 30 de maio de 2022 estão abertas as inscrições gratuitas para o Prêmio São Paulo de Literatura 2022.

Escritores e editoras podem inscrever romances em duas categorias: “Melhor Romance do Ano de 2021” e “Melhor Romance de Estreia do Ano de 2021 através da plataforma de inscrições AQUI

Com a premissa de incentivar a leitura, a produção e a difusão literária, além de poiar e valorizar novos autores e editoras independentes, o Prêmio São Paulo de Literatura contribui para a formação de novos leitores e escritores, sendo um dos poucos no país a ter categoria específica para estreantes. Também se destaca por reconhecer os grandes nomes e os novos talentos da literatura contemporânea, abrindo portas não só para escritores nacionais, mas também para concorrentes estrangeiros com obras escritas originalmente em língua portuguesa e primeira edição mundial no Brasil em 2021. Abrangendo obras de ficção, no gênero romance, o Prêmio São Paulo de Literatura é o maior do país em valor de premiação individual: R$ 200 mil para o Melhor Romance do Ano e R$ 200 mil para o Melhor Romance de Estreia.

Na categoria Melhor Romance, poderão se inscrever autores que já publicaram romances anteriormente. Já na categoria Melhor Romance de Estreia, os escritores podem ter obras publicadas em outros gêneros, desde que o livro inscrito seja o seu primeiro romance.

Sobre o Prêmio São Paulo de Literatura

Criado em 2008 pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria da Cultura do Estado, em suas 14 edições o Prêmio São Paulo de Literatura contemplou 34 romances distribuindo R$ 5.600.000 em prêmios, e contribuiu de forma decisiva para dar visibilidade não só às obras vencedoras, mas também aos trabalhos finalistas.

Dúvidas: premiosaopaulodeliteratura@sp.gov.br 

Prêmio São Paulo de Literatura
Unidade de Difusão Cultural, Bibliotecas e Leitura
SECRETARIA DE CULTURA E ECONOMIA CRIATIVA
premiosaopaulodeliteratura@sp.gov.br | 11 3339-8069/8125
Rua Mauá, 51 - Luz - São Paulo/SP | CEP 01028-900

Ler Mais

TV CULTURA PRESTA UMA SEMANA DE HOMENAGENS A LYGIA FAGUNDES TELLES

ÍCONE DA LITERATURA BRASILEIRA, A ESCRITORA FOI CONSELHEIRA DA FUNDAÇÃO PADRE ANCHIETA POR MAIS DE DUAS DÉCADAS - A Fundação Padre Anchieta lamenta profundamente o falecimento da escritora Lygia Fagundes Telles, no último domingo (3/4/22), aos 98 anos. E como forma de agradecimento à sua ilustre conselheira por mais de duas décadas, a TV Cultura prestará uma semana de homenagens à autora. Serão exibidos grandes momentos de Lygia em sua programação, incluindo o Roda Viva, o programa Autor por Autor sobre a escritora assinado por Maria Adelaide do Amaral e o documentário Lygia, Uma Escritora Brasileira.

Na terça-feira (5/4/22), às 23h30, irá ao ar o documentário Lygia, Uma Escritora Brasileira. Com depoimentos de personagens que pontuaram a história da escritora - como Jô Soares, Tati Bernardi e Ignácio de Loyola Brandão - e utilizando o vasto material de acervo da emissora, o filme leva ao telespectador características pouco conhecidas da autora, além de evidenciar a contemporaneidade de sua obra. 

Na sexta-feira (8/4/22), às 23h30, será apresentado Autor por Autor - Lygia por Lygia. Com direção de Paulo Markun e texto da escritora e dramaturga Maria Adelaide Amaral, o programa mistura interpretações das atrizes Eva Wilma e Regina Braga, e do ator Luciano Chirolli, com depoimentos inéditos de Lygia Fagundes Telles. 

No sábado (9/4/22), a partir das 23h30, o público irá rever o Roda Viva com Lygia Fagundes Telles, gravado em 1996. Na sequência, serão apresentados o Vox Populi com a escritora, à 01h00, e o Contos da Meia-Noite, às 02h00.

A dama da literatura brasileira

 A escritora foi um dos maiores expoentes da literatura do país e integrava a Academia Brasileira de Letras desde 1985. Conhecida como "a dama da literatura brasileira", Lygia recebeu o prêmio Camões em 2005 e o prêmio Jabuti em 1966, 1974 e 2001. A escritora também teve obras traduzidas para diversos outros idiomas. Como conselheira da Fundação Padre Anchieta por mais de 20 anos, deu importante contribuição à TV Cultura e as Rádios Cultura, com sua grande sabedoria e brilhantismo, sempre à frente de seu tempo. 

imprensa@tvcultura.com.br
Tel: (11) 2182-3543 | (11) 2182-3662

Ler Mais

Livrarias Curitiba abre loja em São Bernardo do Campo

São Bernardo do Campo, março de 2022 - O Grupo Livrarias Curitiba inaugura em dois de abril sua loja no Golden Square Shopping, em São Bernardo do Campo/SP.

A unidade será a 26ª da rede, terá 457 m2, vai empregar 13 funcionários, comercializar cerca de 50 mil itens -- incluindo livros, papelaria, presentes, decoração, brinquedos, games, informática - e recebeu investimentos de R$ 1,5 milhão. 

A abertura faz parte do plano de expansão da companhia paranaense - maior rede de livrarias do Sul do Brasil -- que tem 4 lojas em São Paulo e prevê ampliações especialmente no interior paulista. As demais unidades da companhia estão no Paraná e em Santa Catarina. 

“Nosso foco está nas cidades paulistas de médio porte, com grande potencial de consumo e onde não haja concorrência direta com outros players”, explica a diretora de varejo do Grupo Livrarias Curitiba, Rute Pedri.

Novidades dois em um

Essa é a primeira loja da rede que já nasce com a LivLov - marca própria de varejo com opções que acompanham e complementam o livro na hora de presentear. Esses itens ampliam o leque de produtos de tal modo que o cliente encontre diferentes itens de cultura e criatividade no mesmo local. 

O ambiente LivLov é instagramável, traz artigos divertidos, inovadores, descolados, que são tendências, apresentam personagens, séries e cores que “brilham aos olhos”, atraem e dialogam com os visitantes.  

A LivLov faz parte de uma nova frente de negócios da rede paranaense, que está prestes a completar 60 anos e, dentro de um projeto de estratégia e inovação, vai apresentar outras novidades em breve. “Somos pioneiros na criação de uma nova marca - pois não existe outra livraria que tenha desenvolvido uma nova marca para o varejo - e a LivLov já nasce com redes sociais exclusivas no Instagram e Facebook, a @amolivlov”, destaca a porta-voz. 

“Nossos clientes amam livros e papelaria. Seguidores das redes sociais começaram a nos chamar carinhosamente de liv; daí veio o nome da marca. Assim, vamos oferecer o que há de mais atual no universo da papelaria - que se encaixa perfeitamente às novidades literárias, brinquedos, games, presentes e artigos de tecnologia que temos nas lojas”, explica a diretora de varejo. 

Experiência completa

A Livrarias Curitiba do Golden Square Shopping de São Bernardo do Campo seguirá o novo projeto arquitetônico do grupo, com espaços mais amplos, modernos, iluminados e áreas mais organizadas. Desde 2019, os pontos de vendas têm um conceito aberto, sem vitrine e que serve de convite para que o público entre e conheça o ambiente. 

O local também será um espaço de entretenimento para todas as idades, vai realizar eventos culturais gratuitos como lançamentos de livros, palestras, workshops, clubes de conversação de idiomas e a hora do conto. 

“Organizamos essa livraria para que os visitantes tenham uma experiência completa, sintam-se à vontade para explorar o espaço, conhecer todo mix de produtos e encontrar itens correlacionados com mais comodidade”, complementa Rute Pedri.

 Horários de funcionamento do Golden Square Shopping
Lojas: 10h às 22h -- de segunda a sábado / 14h às 20h* - aos domingos e feriados
*Opcional a abertura das lojas às 11h e fechamento opcional às 22h
Praça de Alimentação e Restaurantes: 10h às 22h (segunda a sábado) / 11h às 22h (aos domingos)
Endereço: Av. Kennedy, 700 - Jardim do Mar -- São Bernardo do Campo -- SP.
WhatsApp: (11) 95315-3678

Sobre o Grupo Livrarias Curitiba 

O Grupo Livrarias Curitiba nasceu na capital paranaense em 1963 e atualmente tem 26 lojas nos estados do Paraná, Santa Catarina e São Paulo. A empresa é a maior rede de livrarias do Sul do Brasil. A companhia engloba uma editora infantil, a marca LivLov, clube de assinatura Hora do Conto em Casa, área de vendas por atacado e uma distribuidora de livros e artigos de papelaria com mais de 100 mil produtos cada.

Sobre o Golden Square Shopping   

O shopping está localizado em uma região estratégica de São Bernardo do Campo, de fácil acesso à rodovia Anchieta, a 30 minutos da capital paulista e a uma hora do litoral sul. Muito mais do que um centro de compras completo, o Golden Square Shopping possui um mix de lojas diversificado, que contempla todos os gostos e estilos e oferece opções de lazer e entretenimento.   
Com 31 mil m² de ABL (Área Bruta Locável), o empreendimento administrado pela Ancar Ivanhoe, uma das cinco maiores empreendedoras de shopping do País, conta com o serviço Pet Friendly além de 180 lojas com as melhores marcas do varejo nacional e internacional, restaurantes e eventos.  Baixe o aplicativo do Shopping gratuitamente nas plataformas Android e IOS ou acesse o site.

Sobre a Ancar Ivanhoe

Pioneira no setor de shopping centers, a Ancar Ivanhoe é uma das líderes do mercado com mais de 40 anos de atuação. Sua história teve início na década de 70, quando ingressou na indústria como uma das responsáveis pelo desenvolvimento do segundo shopping do Brasil: o Conjunto Nacional Brasília. 

Em 2006, associou-se à canadense Ivanhoé Cambridge e continuou sua trajetória em constante expansão. Atualmente, a Ancar Ivanhoe está presente nas cinco regiões do Brasil e conta com 22 empreendimentos em seu portfólio, entre shoppings em operação e em desenvolvimento. Para mais informações, acesse o site.

Informações à Imprensa -- Golden Square Shopping

GOLIN
AncarSP@golin.com 
Luiz Conde
lconde@golin.com
11 98510 2710
Thays Corrêa
tcorrea@golin.com
11 93017 5675

Informações à Imprensa - Livrarias Curitiba
Mem Comunicação
Marlise Groth Mem
marliseassessoria@gmail.com
41 99908 0511
João Alécio Mem
joaoalecioassessoria@gmail.com
41 99124 9748

Ler Mais

Livraria da Vila da Alameda Lorena ganha novo endereço

Uma das mais tradicionais unidades da Livraria da Vila, a loja da AlamedaLorena, na região dos Jardins, ganhará novo endereço. Ainda no primeiro semestre de 2022, a livraria passará a atender em novo espaço, na mesma rua, no número 1501, entre as ruas Augusta e Padre João Manuel. Há quase 15 anos no mesmo prédio, a unidade Lorena tornou-se icônica no bairro como ponto de encontro preferido dos amantes da literatura e das artes. A mudança traz diversas melhorias e novos ares, sem deixar de lado as características que fazem da Vila uma das mais tradicionais e queridas livrarias do Brasil.

A estratégia da Vila, que inaugurou oito unidades entre dezembro de 2020 e julho de 2021 -Shopping Eldorado, na Zona Oeste, Park Shopping São Caetano, no ABC, Shopping Anália Franco, na Zona Leste, Pátio Paulista¸ no coração de SP, Shopping Maia, em Guarulhos, Shopping Center Norte, na Zona Norte, Shopping Morumbi, na Zona Sul e Iguatemi Campinas, em Campinas-, é investir em lojas mais compactas, uma curadoria pensada no cliente e um atendimento feito por vendedores apaixonados por livros-- característica tradicional da rede. 

Nem sempre gostamos de mudanças. Mexem com nossos hábitos, nos tiram da zona de conforto. Ao mesmo tempo, trazem novos estímulos, nos ajudam a descobrir novidades, abrem nossas cabeças. A mudança de endereço, leva consigo a mesma equipe e atendimento, a mesma atenção com a curadoria, o mesmo La Guapa e uma nova proposta arquitetônica, criada pelo Greg Bousquet, um dos fundadores da Triptyque Architecture”, diz Samuel Siebel presidente da Livraria da Vila.  

Com projeto moderno, assinado pelo arquiteto Greg Bousquet do escritório Architects Office SP, a nova unidade conta com 359m2, distribuídos em ambientes bem iluminados e com exposição do acervo de fácil acesso para os clientes. O mix de produtos, composto por livros nacionais e importados, jogos, brinquedos e artigos de papelaria, foi desenvolvido especialmente para o público da região. Entre os destaques estão livros atuais e fundo de catálogo, desde literatura infantil até clássicos da literatura.  

Procuramos oferecer um mix balanceado entre lançamentos e obras clássicas do catálogo das editoras. Pesquisamos o mercado, usamos o know-how desta e de outras lojas, analisamos as tendencias, e montamos um acervo variado para atender o público eclético que a loja possui”, reforça Seibel.  

A unidade oferece ainda um espaço exclusivo para o público infantil. São 25m² com mobiliário lúdico e iluminação natural, dedicados totalmente à formação dos leitores mirins. O acervo dedicado aos pequenos conta com ampla variedade de temas, que vão de contos de fada aos lançamentos da literatura infantojuvenil.

 Os consumidores da região contarão ainda com o programa ‘Seu jeito de Ler’, que converte pontos em descontos. “Acreditamos que essa iniciativa seja um incentivo à leitura”, complementa Seibel. 

A nova loja também dispõe de uma unidade da La Guapa Empanadas Artesanais, famosa rede de empanadas artesanais da Chef Paola Carosella. Aconchegante, o espaço de 70m² oferece diversas opções de empanadas, sobremesas e um excelente café.  

Para marcar a inauguração do novo endereço, a livraria promoverá o “Vila Vende Tudo”, válido até o dia 10 de abril no número 1731 da Alameda Lorena. Durante esse período, todos os livros da unidade, exceto didáticos e Guia 2 por 1, terão descontos de até 50%. Imperdível! 

SERVIÇO

Livraria da Vila - Lorena
Novo endereço: Alameda Lorena 1501 -- Jardins -- São Paulo
(ainda no primeiro semestre de 2022)

Promoção Vila Vende Tudo 
Até 10 de abril, data de encerramento da loja na Alameda Lorena, 1731.
Descontos até 50% em todos os livros na loja. Exceto livros didáticos, Guia 2 por 1. 

Sobre a Livraria da Vila - Com 36 anos de mercado, a Livraria da Vila conta com dezesseis lojas, sendo quatorze em São Paulo e duas no Paraná. Consolidada como referência no cenário editorial, busca cada vez mais apresentar-se como um espaço acolhedor, receptivo e democrático. Muito mais do que um lugar que reúne grandes obras da literatura -- são mais de 200 mil títulos em seu acervo, continuamente atualizado --, a Livraria da Vila se preocupa em participar ativamente das comunidades que cercam suas unidades, tornando-se ponto de encontro dos amantes dos livros, da literatura, da música, das artes e da diversidade. 

Mais informações 

a4&holofote | +55 (11) 3897-4122
Suellen de Andrade - suellenandrade@a4eholofote.com.br | +55 11 98906-4570
Luana Zanelato - luanazanelato@a4eholofote.com.br |+55 11 98022 2443
Neila Carvalho - neilacarvalho@a4eholofote.com.br | +55 11 99916-5094

Ler Mais