DAS RELEVÂNCIAS NO NEGÓCIO DO LIVRO / JOÃO SCORTECCI

Pandemia e o Livro. Em um ano de pandemia o que temos no negócio do livro: diminuição da diversidade literária, serviço oferecido pelas pequenas e médias casas editoriais, fechamento de livrarias de rua, leitor assíduo substituindo compra presencial pela virtual, guerra de preços e descontos, inviabilizando o varejo espontâneo, concentração de ofertas nas mãos de gigantes do varejo online, custos de produção, papel, embalagem, frete e logística, crescentes e perversos, na contramão do momento, preços de capa defasados, que não contemplam o preço justo, fechamento de bibliotecas e espaços, minando o fenômeno conhecido como “vida literária e cultural”, cancelamento de feiras, bienais e eventos do setor, prejudicando novos lançamentos e a divulgação das novidades, afastamento do leitor do seu público e, se não fosse pouco, e também cruel, estrangulamento das margens do direito de autor, pagos pelo seu trabalho intelectual. O mercado está na “berlinda”, na espera e na busca do biscoito da sorte. E mais, sofre - ou vem sofrendo - a ameaça de ver o produto livro tributado em 12%, na mais insana e estúpida proposta de governo que já se viu no reino. Jogar a toalha, jamais! Estamos levando “surras” de tolhas molhadas. Hora de sol, resistência e diálogo. A dor da “sova” não é maior que o prejuízo da razão. 

João Scortecci
17.04.2021


Ler Mais

TROFÉU JUCA PATO 2021 - INTELECTUAL DO ANO

REGULAMENTO - 

Art. 1º – A UBE – União Brasileira de Escritores, sediada em São Paulo, promove e administra, anual e nacionalmente, a eleição da personalidade a quem caberá o Prêmio “Intelectual do Ano”, conferindo-lhe o Troféu Juca Pato. O troféu é a réplica do personagem criado pelo jornalista Lélis Vieira e imortalizado pelo ilustrador e chargista Benedito Carneiro Bastos Barreto, conhecido pelo pseudônimo de Belmonte (1896-1947). O prêmio foi criado em 1962, por iniciativa do escritor Marcos Rey.

Art. 2º – O Prêmio "Intelectual do Ano" não é um prêmio literário, mas uma láurea conferida à personalidade que, havendo publicado livro de repercussão nacional no ano anterior, tenha se destacado em qualquer área do conhecimento e contribuído para o desenvolvimento e prestígio do País, na defesa dos valores democráticos e republicanos.

2º § 1 – Por valores democráticos, entende-se o direito à igualdade, rejeição aos privilégios, aceitação da vontade da maioria e respeito aos direitos da minoria.

2º § 2 – Por valores republicanos, entende-se o respeito à lei acima da vontade dos homens, ao bem público acima do interesse privado, à responsabilidade no exercício do poder, isto é, o poder visto como um serviço e não como um privilégio.

Art. 3º – As indicações de nomes para o Prêmio poderão ser feitas por escritores, leitores, professores, profissionais do livro, entidades culturais e público em geral. As indicações (conforme Art. 2º) devem ser encaminhadas pelo link no site da UBE (ube.org.br), restringindo-se a um voto por IP (Protocolo de Internet) até às 23h59 do dia 31 de julho de 2021.

Art. 4º – Os indicados serão considerados "candidatos" após aprovação da Diretoria da entidade até o dia 12 de agosto de 2021. Serão apresentados, para eleição e votação, até cinco (5) candidatos.

Art. 5º - Poderão votar na escolha do Juca Pato de 2021 ("Intelectual do ano") os sócios da UBE quites com a entidade em 2020 e os sócios honorários. O período de votação será de 16 de agosto a 17 de setembro de 2021, até às 23h59, por meio do site da UBE (ube.org.br). Serão computados apenas os votos válidos. A divulgação do laureado será até 23 de setembro de 2021 - no site da UBE - e nas mídias sociais da entidade, e a entrega do Troféu Juca Pato ocorrerá na primeira semana de dezembro de 2021 (data e local a serem confirmados).

Art. 6º – Os casos omissos deste regulamento serão resolvidos pela Diretoria da UBE - União Brasileira de Escritores.

CRONOGRAMA

Indicações para o Troféu JUCA PATO 2021: Até 31 de julho de 2021.

Candidatos selecionados pela Diretoria da UBE: Até 12 de agosto de 2021.

Período de votação: De 16 de agosto a 17 de setembro de 2021.

Divulgação do nome do laureado: Até 23 de setembro de 2021.

Premiação: Dezembro de 2021 (data e local a serem confirmados).


Mais informações: https://www.ube.org.br ou Whatsapp (11) 93418-5858.

Ler Mais

EU SOU YANKA DE ELIAQUIM BATISTA / CONDUTA LITERÁRIA

Hoje trago a resenha de Eu sou Yanka, do autor Eliaquim Batista, lançado pela Scortecci Editora.

O livro conta a história de Yanka Gutiel, residente em São Paulo e que perde sua mãe de forma abrupta e trágica. Após essa perda, seu pai, com medo que algo aconteça aos filhos, passa a não deixar mais que Yanka e seu irmão saiam de casa.

Com um segundo casamento de seu pai e já com quase 18 anos, Yanka passa a ter vontade de sair e conhecer a rua, além de saber mais sobre a morte de sua mãe. Ela resolve fugir.

Meu coração chorava, mas por fora, eu não dizia nada, eu ficava como uma estátua olhando 
para meu pai. Ele que pediu para nunca mentir para ele, eis que aos dezessete anos tive 
um segredo a esconder dele."

A partir desse momento a história ganha mais ação e muitos segredos veem à tona. A coisas vão muito além do que Yanka poderia imaginar. E nem eu.

Narrado em primeira pessoa, o livro traz um enredo eletrizante e muito envolvente, os personagem são bem desenvolvidos e o leitor fica preso às páginas. Muitas informações começam a surgir e o segredo que há por detrás de tudo é  de tirar o fôlego.

Vários temas são abordados como mentiras, drogas e principalmente o relacionamento familiar, que é o ponto alto e forte de toda história.

Depois de sair do banho e me trocar, estavam todos meus amigos e outras pessoas ali. Era emocionante ouvir essa música, um bolo com vela de dezoito anos e sorrisos para mim. Meu primeiro aniversário.

A leitura flui muito bem, eu fiquei entretida do início ao fim e me senti revoltada e emocionada em vários momentos, foi um turbilhão de sentimentos. E eu adoro quando acontece isso.

Portanto se você procura uma leitura mais rápida, com segredos e reviravoltas, leia Eu sou Yanka. O único problema é quando acaba, pois dá uma vontade imensa de continuar na história.

Super recomendo!

Fernanda Akemi


EU SOU YANKA / Eliaquim Batista
ISBN: 978-85-366-6109-4
Scortecci Editora - Ficção
Formato 14 x 21 cm - 2ª edição - 2021 - 116 páginas
Ler Mais

Mesas de Debates - Maio de 2021 - Scortecci Editora

Periscópio - André Roedel |

A Scortecci Editora irá realizar no dia 19 de maio, das 19h30 às 21h, um evento online intitulado “Redes sociais, novas tecnologias e divulgação da produção literária”, que contará com Paulo Addair (apresentador do Canal PAPONET), Paulo Stucchi (jornalista e escritor de Itu) e Renê de Paula Jr. (“gerador compulsivo de conteúdo”) como debatedores. O papel das redes sociais na divulgação da produção literária, “self-publishing” e publicação colaborativa, as facilidades das novas tecnologias, esses são os principais aspectos do debate sobre o tema e sua relação com o livro (impresso), leitura e literatura. O acesso pela plataforma ZOOM pode ser feito com a ID 725 467 5353. Falando em Paulo Stucchi, o autor de “A Filha do Reich” (que pode ser encontrado na Livraria Atlântica do Plaza Shopping Itu) deve lançar nova obra em breve. “Um livro já na editora, na expectativa da publicação, e outro pronto pra enviar pro meu agente Felipe Colbert. Escrito em exatos 6 dias. Ufa!”, escreveu ele nas redes sociais. Haja pique!

Mais informações: Periscópio - Jornal do Povo

Ler Mais

UNG realiza "Projeto Ser Leitor"

Do dia 13 ao dia 16 de abril de 2021, a Universidade UNG realiza o "Projeto Ser Leitor". Este ano, a ação abordará temas como literatura infantil e poesia e promoverá, ainda, a leitura em grupo do conto "Felicidade Clandestina", da autora Clarisse Lispector

O "Ser Leitor" é um projeto do grupo Ser Educacional - mantenedora da UNINASSAU, UNAMA, UNG, UNIVERITAS, UNINORTE, UNINABUCO, UNIJUAZEIRO, UNIFACIMED e UNESC -, e já realizou atividades por todo o Brasil, levando leitura para escolas, parques e praças. Este ano, o projeto ocorrerá on-line por conta da pandemia. O evento é gratuito e, para participar, basta se inscrever pelo site extensao.ung.br. 

A coordenadora do núcleo de Pedagogia da Universidade UNG, Vanessa Patrício, fala sobre a importância do evento. "Neste projeto, a leitura age, mais uma vez, como meio de inclusão social e de melhoria para a formação dos indivíduos, visa a construção de conhecimento e o desafio de buscar constantemente novos caminhos que, com certeza, irá possibilitar melhores resultados em suas trajetórias profissionais". 

Confira a programação: 

13/04 - 14h - "Felicidade Clandestina - Clarisse Lispector", com Rogério Lopes Alvarenga e Diná Mariano Patrocínio; 

14/04 - 18h - "O Quarto de Despejo - Um Mergulho Na Vida de Carolina Maria de Jesus", com Veruschka de Sales Azevedo; 

15/04 - 18h - "Um Passeio Pela Literatura Infantil - Como Contar Histórias Infantis", com Wânia Karolis; 

16/04 - 18h - "A Rosa do Povo - Carlos Drummond de Andrade", com Magda Mulati Gardelli.

Ler Mais

ÀS BIBLIOTECAS QUE ME HABITAM / MARIA MORTATTI

É tarde da noite. Exausta. Há dias mergulhada em livros. Mas não posso deixar de ao menos registrar minha homenagem às bibliotecas que me acolheram, onde me refugiei em momentos bons e ruins, onde estudei e pesquisei, onde aprendi a amar os livros, a leitura, a literatura, as Ciências Humanas, o conhecimento. 

São tantas que talvez nem caibam aqui. Registro apenas algumas públicas e universitárias que representam momentos decisivos de minha vida: Biblioteca Pública Municipal "Mário de Andrade”, de Araraquara/SP; Biblioteca da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Araraquara (Unesp); Biblioteca da Faculdade de Educação e Biblioteca do Instituto de Estudos da Linguagem da Unicamp; Biblioteca da Unesp, campus de Presidente Prudente e campus de Marília. 

Habitei essas e tantas outras. E elas continuam me habitando. Vez ou outra procuro um livro que sei que li, mas não o encontro em minhas estantes. Então me lembro em que estante de que biblioteca estava, em que momento e por que o li, o que senti. Não posso ter cada um deles de novo comigo. Mas, nos que escolhi para ficarem aqui para sempre ao meu lado, pulsam os de todas as bibliotecas que contribuíram para minha formação como mulher, poeta, professora, pesquisadora. 

Vida longa às bibliotecas! Que todos possam habitá-las e ser por elas habitados. Que possam ser sempre lugar de formação humana e resistência contra a barbárie! 

Maria Mortatti - 09.04.2021 - Dia Nacional da Biblioteca

Ler Mais

Nota - Ordem dos Advogados do Brasil

O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, por intermédio de sua Comissão Especial de Cultura e Arte e da Comissão Especial de Direitos Autorais, vem, por meio da presente nota, repudiar o projeto da reforma tributária que visa extinguir a imunidade tributária dos livros no Brasil, sob o argumento de que os mesmos são consumidos pela faixa mais rica da população (acima de dez salários mínimos). Outra manobra foi intentada ano passado, visando instituir a Contribuição Social Sobre Operações de Bens e Serviços sobre os livros. A medida foi rechaçada com veemência por todo o país, inclusive por este Conselho Federal.

A nova proposta é substituir PIS e COFINS pela CBS, com alíquota de 12% e encerrar o benefício fiscal ao mercado editorial, com eventual extinção da imunidade tributária. Com a instituição do tributo, os livros ficariam mais caros e inacessíveis, inviabilizado o trabalho de muitas editoras, autores, artistas gráficos, ilustradores, livrarias e toda a cadeia produtiva. Além disso, diminuiria, ainda mais, o acesso à cultura e à educação em um país com tantas desigualdades. É o caminho do subdesenvolvimento. Com a pandemia, muitas famílias passaram para a faixa de extrema pobreza. Aumentar o preço dos livros é trancar as portas da oportunidade, em que o povo brasileiro pode alcançar uma vida digna por meio do estudo e da educação de qualidade. Segundo Platão, “Livros dão alma ao universo, asas a mente, vôo para a imaginação e vida a tudo”.

Brasília, 7 de abril de 2021.

Felipe de Santa Cruz Oliveira Scaletsky
Presidente do Conselho Federal da OAB.

Ricardo Bacelar Paiva
Comissão Especial de Cultura e Arte do Conselho Federal da OAB

Sydney Limeira Sanches
Comissão Especial de Direitos Autorais do Conselho Federal da OAB

Ler Mais

NÃO À TAXAÇÃO DOS LIVROS!

A Frente Parlamentar em Defesa do Livro, Leitura e Bibliotecas REPUDIA, veementemente, a afirmação da Receita Federal noticiada na imprensa de que “pessoas mais pobres não consomem livros não didáticos”.

A nosso ver, o órgão utiliza de informação distorcida, misturando dados sobre livros didáticos e não-didáticos, e diferentes faixas salariais, como justificativa para defender que livros sejam tributados, sob falso pretexto de gerar recursos para executar políticas públicas, negligenciando o subfinanciamento histórico do acesso ao livro.

O mercado editorial brasileiro é imune à cobrança de impostos por uma escolha da sociedade brasileira concretizada no art. 150 da Constituição Federal, buscando assegurar a maior democratização possível do acesso aos livros, jornais, e outras publicações. Inclusive, ao contrário do que alega a Receita, as famílias com renda inferior a dez salários mínimos respondem por quase a metade do mercado de livros não didáticos. O mesmo segmento da população consome 70% dos livros didáticos. Em vez de ampliar esse acesso, o governo busca restringi-lo, em flagrante desvio do espírito da Constituição Cidadã.

Esse ataque não é isolado, e deve ser enxergado como parte do pacote ideológico que baliza esta catastrófica gestão, repleto de investidas contra a Cultura, a Educação, a Informação e o direito ao seu acesso pelos mais pobres, e apenas reafirma o caráter anticientífico e anticultural do (des)governo Bolsonaro.

Senador Jean Paul Prates (PT-RN)
Presidente pelo Senado

Deputada Fernanda Melchionna (PSOL-RS)
Presidente pela Câmara dos Deputados

Ler Mais

Fundação Dorina Nowill para Cegos fomenta a importância da alfabetização em Braille

Em 08 de abril é comemorado o Dia Nacional do Sistema Braille. A data marca o nascimento de José Álvares de Azevedo, o primeiro professor cego do Brasil. Em tempos em que se discute a aprendizagem no período de pandemia, a Fundação Dorina Nowill para Cegos alerta para a importância do método na vida das pessoas com deficiência visual: ainda hoje ele é o único sistema eficaz na alfabetização de crianças que nascem cegas ou que perdem a visão na primeira infância. 

Criado por Louis Braille, o sistema é uma forma de trabalhar o desenvolvimento cognitivo do estudante, além de possibilitar que as pessoas com deficiência visual tenham maior autonomia e inclusão na sociedade. A ferramenta de ensino, composta por 6 pontos em relevo combinados entre si, permite não apenas a representação de letras e números, mas também de operações matemáticas, fórmulas químicas, partituras musicais e representações de imagem. 

Há 75 anos, a Fundação Dorina Nowill para Cegos trabalha para contribuir com essa formação escolar ao incentivar a capacitação dos professores para ministrar as aulas, além de oferecer materiais acessíveis gratuitos às escolas e bibliotecas de todo Brasil. 

Criada em 1948, a Imprensa Braille da instituição é hoje o maior parque gráfico deste segmento na América Latina, com capacidade de impressão de 450 mil páginas por dia. 

Ao longo de 2021, a Fundação Dorina Nowill para Cegos pretende lançar novos livros em braille, de obras de diversos gêneros para incentivar a leitura. São elas: A flor de Lirolay e outros contos da América Latina, Entre quatro paredes, Ruth Rocha conta a Odisséia, Eugênia e os robôs, Marco queria dormir, Exercícios de ser criança, Hebe: a biografia, Uma vida no escuro, Meu quintal é maior do que o mundo, Na minha pele. 

" A verdadeira educação das crianças cegas só acontece quando elas podem dispor de livros em braille que contenham a representação dos símbolos de Matemática, Química, Física e outras ciências, a adaptação, em relevo, de tabelas, gráficos, mapas, figuras geométricas e outras ilustrações que lhes forneçam as mesmas informações oferecidas aos alunos videntes, além de lhes propiciar a oportunidade de fixar a ortografia da Língua Portuguesa e de outros idiomas", diz Regina Oliveira, coordenadora de revisão em Braille da Fundação Dorina Nowill para Cegos. 

Ainda neste ano, a instituição lançará o projeto "Saber Incluir", que oferece por meio de plataformas digitais de aprendizagem, a distribuição de conteúdo voltado à educação e práticas inclusivas. A ação tem como objetivo capacitar cerca de 480 educadores da rede pública do Estado de São Paulo, que poderão participar de 16 palestras e 10 videoaulas ao longo deste ano. Um dos conteúdos é sobre a alfabetização de crianças e adolescentes com deficiência visual e possibilita que esses profissionais realizem aulas de forma acessível aos estudantes cegos ou com baixa visão. Este projeto, inclusive, pode receber o apoio de contribuintes-solidários, com doação de porcentagem do tributo do imposto de renda. 

Sobre o Dia Nacional do Sistema Braille e José Álvares de Azevedo 

Nascido em 08 de abril de 1834, José Álvares de Azevedo veio ao mundo sem enxergar, mas nunca deixou o aprendizado de lado, pois aos 10 anos de idade, sua família o enviou para estudar no Instituto Real dos Jovens Cegos, em Paris. Foi durante esse momento que ele conheceu o Sistema Braille. Já aos 16 anos, passou a ensinar esse conteúdo, posteriormente tornando-se o primeiro professor especializado na alfabetização de pessoas cegas ou com baixa visão no Brasil. Em sua homenagem, a data de seu aniversário foi consagrada como o Dia Nacional do Sistema Braille, ação que marca sua contribuição educacional para o país. 

O Braille foi criado na França, em 1825, por Louis Braille, que perdeu a visão ainda quando criança, aos 03 anos. O sistema é composto por pontos em relevo, que em combinação representam diferentes letras e números. 

Sobre a Fundação Dorina Nowill para Cegos 

Celebrando 75 anos de existência, a Fundação Dorina Nowill para Cegos vem trabalhando para que crianças, jovens, adultos e idosos cegos ou com baixa visão sejam incluídos em diferentes cenários sociais. A instituição oferece serviços gratuitos e especializados de habilitação e reabilitação, dentre eles orientação e mobilidade e clínica de visão subnormal, além de programas de inclusão educacional e profissional. Responsável por um dos maiores parques gráficos de braille no mundo, com capacidade de impressão de até 450 mil páginas por dia, a Fundação Dorina Nowill para Cegos é referência na produção e distribuição de materiais nos formatos acessíveis braille, áudio, impressão em fonte ampliada e digital acessível, incluindo o envio gratuito de livros para milhares de escolas, bibliotecas e organizações de todo o Brasil. A instituição também oferece uma gama de serviços em acessibilidade, como cursos, capacitações customizadas, sites acessíveis, audiodescrição e consultorias especializadas. Contando com o apoio fundamental de colaboradores, conselheiros, parceiros, patrocinadores e voluntários, a Fundação Dorina Nowill para Cegos é reconhecida e respeitada pela seriedade de um trabalho que atravessa décadas e busca conferir independência, autonomia e dignidade às pessoas com deficiência visual. Mais detalhes: http://www.fundacaodorina.org.br. 


Mais informações sobre a Fundação Dorina Nowill para Cegos para a imprensa: 

Advice Comunicação Corporativa 

Carolina Stefanini (carolina.stefanini@advicecc.com) - Tel: (11) 5102 5251 

Claudiney Sales (claudiney.sales@advicecc.com) - Tel: (11) 5102 5257 

Luana Rodriguez (luana.rodriguez@advicecc.com) - Tel: (11) 5102 5252 

Fernanda Dabori (fernanda.dabori@advicecc.com) 


Ler Mais

Troféu Audálio Dantas será entregue nesta quarta, 7 de abril - Dia do Jornalista

Na data em que se comemoram o Dia do Jornalista e o Dia Mundial da Saúde, três grandes nomes do jornalismo brasileiro serão agraciados com o ‘Troféu Audálio Dantas – Indignação, Coragem, Esperança’. São eles Mara Régia di Perna, Luis Nassif e Jamil Chade.  A cerimônia será às 7 da noite, em ambiente remoto, e poderá ser acompanhada pelo canal do YouTube da OBORÉ. 

A jornalista Vanira Kunc, companheira de Audálio de toda uma vida, explica que, ao longo de 2 meses, consultas a jornalistas, radialistas, artistas e estudantes apontaram para esses três  nomes que devem ser referência e estímulo para as novas gerações. São pessoas que dedicaram suas vidas à defesa da Democracia, Justiça, Direito à Informação e Liberdade de Expressão.

O troféu foi concebido em julho de 2016 por iniciativa conjunta da Agência Sindical, do Centro de Estudos de Mídia Alternativa Barão de Itararé e da OBORÉ para homenagear Audálio Dantas. Com seu falecimento, em 2018, o troféu passa a receber o seu nome para servir de referência e estímulo para novas gerações de jornalistas, radialistas, de toda a gente da imprensa. Em 2020, a peça foi entregue a Patrícia Campos Mello, em cerimônia virtual. Começava assim uma tradição. 

Fruto do talentoso trabalho do artista plástico Roger Mátua, a obra foi criada a partir de uma ilustração da Laerte para a 1ª edição do Cadernos de Jornalismo do Projeto Repórter do Futuro, da OBORÉ. A tradicional imagem de São Jorge enfrentando o dragão foi ressignificada pelo traço da artista: ao invés de lança, o santo empunha um microfone, e em seu capacete está uma câmera. 

A edição 2021 do Troféu Audálio Dantas – Indignação, Coragem, Esperança contou com a curadoria da OBORÉ e a participação ativa e criativa de estudantes e professores do Projeto Repórter do Futuro, da equipe Rádio Brasil Atual, do Instituto Vladimir Herzog e dos Centros Acadêmicos Benevides Paixão (PUC-SP) e Vladimir Herzog (Cásper Líbero). 

A realização é assinada conjuntamente pelas seguintes entidades:   

ABI – Associação Brasileira de Imprensa 

ABRAJI – Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo 

ACB – Associação dos Cartunistas do Brasil 

ACE – Associação dos Correspondentes Estrangeiros

Agência Sindical 

AHA - Associação dos Amigos do Salão Internacional de Humor de Piracicaba

AJOVESP – Associação dos Jornalistas Veteranos do Estado de São Paulo 

APJOR – Associação Profissão Jornalista 

AQC-ESP – Associação dos Quadrinistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo 

ARFOC – Associação dos Repórteres Fotográficos e Cinematográficos de São Paulo

Artigo 19

Barão de Itararé – Centro de Estudos da Mídia Alternativa 

CEDHU - Centro Nacional de Pesquisa e Documentação do Humor Gráfico

Centro Acadêmico Benevides Paixão / PUC-SP

Centro Acadêmico de Comunicação Florestan Fernandes - Unesp Bauru

Centro Acadêmico de Comunicação Social da Universidade Federal do Piauí 

Centro Acadêmico de Comunicação Social Franklin Tannús - UFU

Centro Acadêmico Lupe Cotrim / ECA USP

Centro Acadêmico Vladimir Herzog - Cásper Líbero

Centro de Memória Sindical 

Clube do Choro de São Paulo

CNTU -Confederação Nacional dos Trabalhadores Liberais Universitários

Colégio Equipe

Colibri Comunicações

Conectas Direitos Humanos 

DIAP - Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar 

Diretório Acadêmico de Comunicação Social da Federal do Mato Grosso

FENAJ – Federação Nacional dos Jornalistas 

FEPESP - Federação dos Professores do Estado de São Paulo  

FNDC – Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação

Hospital Premier 

IMAG – Instituto do Memorial de Artes Gráficas do Brasil 

INTERVOZES – Coletivo Brasil de Comunicação Social

IVH - Instituto Vladimir Herzog 

Jornalistas & Cia 

OBORÉ  

Pastoral Operária Metropolitana de São Paulo

Prefeitura Municipal de Piracicaba / Secretaria de Ação Cultural

Projeto Repórter do Futuro 

Rádio Brasil Atual  

Rede Brasileira de Jornalismo Ambiental 

Rede ComCiência / Jornalistas de Ciência 

Repórteres Sem Fronteiras 

Salão Internacional de Humor de Piracicaba

SEESP -Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo

SINPRO SP - Sindicato dos Professores de São Paulo 

SJSP - Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo 

Sociologia e Política - Escola de Humanidades 

TVT – Televisão dos Trabalhadores

UBE – União Brasileira de Escritores 

UNICAJor – União Nacional de Centros Acadêmicos de Jornalismo

VIVACORD-Associação dos Moradores da Vila Cordeiro

SERVIÇO

Cerimônia de entrega do Troféu Audálio Dantas – Indignação, Coragem, Esperança
Quarta-feira, dia 7 de abril de 2021, às 7 da noite
Canal YouTube da OBORÉ
https://www.youtube.com/c/OBOR%C3%89ProjetosEspeciais

Ler Mais

FUNDADOR DA A+, THIAGO PALEARI, LANÇA PRIMEIRO LIVRO

Com quase 10 anos de carreira, diversas histórias e muitos aprendizados, o fundador da A+ Assessoria, Thiago Paleari, lançou seu primeiro livro “Diário de um Assessor de Imprensa” na último dia 19. O livro foi escrito durante a pandemia do novo coronavírus, em 2020, período de restrições e distanciamentos, que o profissional, de 30 anos, até então acostumado com os “corres” da profissão, abriu seu diário e revisitou as memórias mais distantes.

O Jornal da Cidade de Bauru deu destaque ao lançamento, já na sexta-feira (19), adiantando alguns detalhes sobre as histórias contadas na obra. Também o blog Role 067 publicou sobre o lançamento de Thiago Paleari. Na quinta-feira, dia 25, o escritor esteve em live pelo canal do Facebook da Bariri Rádio Clube e, em seguida, participou da gravação do programa Francamente (Rádio Difusora de Jundiaí) com Tainan Franco. A entrevista foi ar sexta-feira, dia 26, pela 810 AM e está disponível no YouTube (Clique aqui e assista).

Nas entrevistas, Thiago conta sobre as histórias apresentadas em primeira pessoa, a partir de 2012, quando o autor inicia a carreira profissional em uma agência de São Paulo, após se formar em Bauru. Assessorando os principais nomes do funk ostentação da época, além de Thammy Miranda, Mariana Weicker, Nathalie Alvim e outros, o assessor passou “por poucas e boas”, que são descritas detalhadamente e com bom humor pelas páginas. O livro segue mostrando as experiências vividas e o amadurecimento profissional que o encorajam a abrir o próprio negócio.

Mais informações no instagram: @diariodeumassessor ou @thipaleari

“DIÁRIO DE UM ASSESSOR DE IMPRENSA”
Nova York, Londres, Galway, Rio de Janeiro, Itajaí e Bauru são algumas cidades que o jovem assessor de imprensa Thiago Paleari percorreu para promover eventos, prestigiar shows e acompanhar entrevistas ao longo de quase 10 anos de carreira. Os bastidores dessas e outras ações – que envolvem perrengues, problemas com a imigração irlandesa, calotes, artistas consagrados e diversão – estão apresentados nos capítulos do livro “Diário de Um Assessor de Imprensa”, pela Editora Scortecci.

Apesar da pouca idade, o profissional já atua na área há 9 anos e reúne diversas e divertidas histórias do menino que deixou Bariri, para se lançar aos leões da cidade grande, da indústria fonográfica e do mercado de assessoria de imprensa, em São Paulo.

SOBRE O AUTOR
Thiago Paleari é formado em Relações Públicas pela Universidade Sagrado Coração (USC), com MBA em Gestão Estratégica de Mercado pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM-SP). Em 2013, fundou a A+ Assessoria I Soluções Estratégicas, onde atua como assessor de imprensa, produtor cultural e diretor. Realizou trabalhos e promoveu eventos no Brasil, Inglaterra, Estados Unidos e Irlanda. Representou ativamente artistas e eventos como: 5 a Seco, Braza, PEU, Erick Jay, Max B.O, Lorena Chaves, Flip, Kamau, DJ Soares (Rael), Feira Ópera, Miss e Mister São Paulo e muito mais. É fundador da primeira Escola de Skate Voluntária da cidade de Bariri-SP.

Saiba mais: A+ Assessoria

SERVIÇO:
DIÁRIO DE UM ASSESSOR DE IMPRENSA / Thiago Paleari
ISBN: 978-65-5529-324-1
Scortecci Editora - Jornalismo
Formato 14 x 21 cm - 1ª edição - 2021 - 96 páginas

Adquira seu exemplar
Ler Mais

ESCRITOS / Decio Bar

 ESCRITOS apresenta os poemas de Decio Bar, organizados por sua filha Joy Pedreira Bar. 

Decio se envolveu em atividades políticas e culturais e nos anos 60 fez parte do grupo literário Poetas Novíssimos, chamados de "malditos" porque se contrapunham à estética oficial e ao formalismo da poesia concreta. Em edição póstuma, foram reunidas neste livro as produções literárias de Decio Bar, falecido em 1991, aos 48 anos de idade.

Decio teve participação notória em eventos ligados à cidade de São Paulo até o advento da ditadura quando passou, segundo ele próprio, para "a moitinha da História". Esta sua participação estimulou a filha a tornar públicos, após seu falecimento, os escritos encontrados entra os seus pertences.

As produções aqui reunidas se referem a dois períodos muito diversos entre si do ponto de vista estilístico e de conteúdo: as dos anos 60, época dos Poetas Novíssimos, quando o sonho era possível e o autor respirava poesia, e as dos anos 80, em uma poesia dura e irônica.

Por não terem recebido a arte final do autor, foram transcritas literalmente, assim como preservadas a sua assinatura e a representação gráfica do nome de uma das pastas com os seus textos dos anos 80, denominada "Escritos".

Decio Bar nasceu em São Paulo, em 27 de agosto de 1943, e faleceu em 16 de julho de 1991, também em São Paulo. Filho de Ide Leib Bar e Bella Bar, irmão de Paulina Genta Burd, nasceu e viveu sua infância no bairro do Bom Retiro.

Cursou várias faculdades, dedicando-se profissionalmente ao jornalismo: revistas - Realidade, Veja, etc. - e à publicidade - Standard, PROEME, etc. Publicou um livro, No Temporal, por ele definido como uma novel-Poema.

Em 1963, autoapresentou-se: "Começou como poeta. Passou a contista. Inverteu as técnicas tradicionais de prosa poética e partiu para a 'poesia prosada', isto é, a sintaxe livre e rítmica do poema dando ênfase indissolúvel ao entrecho". Ao que acrescentou: "Outras bossas: desenhista, ator, compositor, de samba, chargista, ghost-writer".

Além disso, realizou filmes em Super-8, alguns premiados, fotografias, roteiros para TV, além de importantes matérias jornalísticas, que se tornaram referências para estudos posteriores.

Foi homenageado em obras escritas por Maria Adelaide Amaral, que também foi adaptada como minissérie, Judith Patarra, entre outras, devido à sua participação em acontecimentos importantes da cidade de São Paulo e ao seu modo de ser intenso e criativo.

Escritos
Decio Bar
Poesia
Scortecci Editora
ISBN 978-85-366-1088-7
Formato 14 x 21 - 120 páginas
1ª edição - 2008

Sobre DECIO BAR

https://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq2312200715.htm

Ler Mais

Quando os 'perrengues' da profissão viram livro

Escrito na pandemia, obra narra as histórias reais de bastidores e os percalços da profissão que Thiago Paleari exerce há quase 10 anos

Nova York, Londres, Galway, Rio de Janeiro, Itajaí e Bauru são algumas cidades que o jovem assessor de imprensa Thiago Paleari percorreu para promover eventos, prestigiar shows e acompanhar entrevistas ao longo de quase 10 anos de carreira. Os bastidores dessas e outras ações - que envolvem perrengues, problemas com a imigração irlandesa, calotes, artistas consagrados e diversão - estão apresentados nos capítulos do livro "Diário de Um Assessor de Imprensa", pela Editora Scortecci, que chega nas principais livrarias virtuais nesta sexta-feira (19).

O livro foi escrito durante a pandemia do novo coronavírus, em 2020, período de restrições e distanciamentos, que o profissional, de 30 anos, até então acostumado com os "corres" da profissão, abriu seu diário e revisitou as memórias mais distantes. "Sempre gostei de ler e escrever. Como assessor e produtor cultural, fui colecionando várias experiências em vários lugares e até outros países. No período de quarentena relembrei esses momentos e comecei a escreve-los, o que ajudou a manter minha mente sã", afirma Thiago Paleari.

Apesar da pouca idade, o profissional já atua na área há 9 anos e reúne diversas e divertidas histórias do menino que deixou Bariri (56 quilômetros de Bauru), para se lançar aos leões da cidade grande, da indústria fonográfica e do mercado de assessoria de imprensa, em São Paulo. "Como venho de uma cidade pequena, as pessoas sempre me questionaram muito sobre os bastidores da profissão, como funcionavam determinadas coisas, as viagens, aparições na TV, entre outras. No livro, eu aproveito para tirar todas essas dúvidas e desmistificar um pouco do dia a dia da profissão", comenta Paleari.

Saiba mais: JC NET

SERVIÇO:
DIÁRIO DE UM ASSESSOR DE IMPRENSA / Thiago Paleari

ISBN: 978-65-5529-324-1
Scortecci Editora - Jornalismo
Formato 14 x 21 cm - 1ª edição - 2021 - 96 páginas

Adquira seu exemplar: Livraria Asabeça

Ler Mais

NINA E RICK / EDNA FILIPIM (SCORTECCI, 2018)

Livros em Revista - Ralph Peter | Edna Filipim – Isabela de Sá Leal (Ilustr) – Scortecci – Uma estória encantadora, conto de fadas de primeiríssima ordem. Num lago povoados por sapos, repentinamente apareceram sapo e sapa, totalmente desmemoriados. Por mais que fizessem e fossem ajudados para recuperar os “dados” perdidos, não conseguiam. Resolveram sair pelo mundo para uma tentativa. Com final surpreendente, além de fazer frente aos conhecidos contos infantis internacionais. Suas aventuras levarão a galerinha aos bons sonhos. Encantador. Muito gostoso!

NINA E RICK / Edna Filipim
ISBN: 978-85-366-5521-5
Scortecci Editora - Literatura Infantojuvenil
Formato 15 x 22 cm - 1ª edição - 2018 - 32 páginas

Adquira seu exemplar: Livraria Asabeça
Ler Mais

UM AMOR FEITO TATUAGEM DE ALCIDÉA MIGUEL / CONDUTA LITERÁRIA

Hoje venho compartilhar com vocês minhas considerações sobre o livro "Um Amor Feito  Tatuagem", da autora Alcidéa Miguel e que recebi em parceria com a Scortecci Editora.

A história traz o romance proibido entre dois músicos regentes que se conheceram em um congresso.

Mário aos 44 anos é autodidata em música, possui um coral e já tinha um CD lançado. Pai de família e morador de São Paulo, ele é convidado a participar de um congresso de canto coral em Porto Alegre.

Sofia é regente de coros e participante do congresso também. E assim que se conhecem uma grande atração envolve os dois.

A trama é curtinha e fluída e por se tratar de fatos verídicos eu senti todo drama dos personagens. Mario e Sofia vivem vidas completamente diferentes e ao mesmo tempo partilham de problemas tão iguais, que eles acabam se unindo e colocando na vida um do outro aquele amor que eles nunca tiveram antes. Mesmo sendo casados.

Não há como julgar o comportamento ou decisão que o casal tenha durante a história, pois o fato maior é o amor que une e mesmo que este não fique, ele traz aprendizados e mudanças que irão valer para a vida.

Gostei muito da história, da escrita da autora e da forma como tudo se encaminhou para o seu final. E gostei mais ainda por trazer dois musicistas e também por demonstrar a importância da música na vida de cada um.

Um romance curtinho, leve e muito envolvente!

Fernanda Akemi

UM AMOR FEITO TATUAGEM / Alcidéa Miguel
ISBN: 978-65-5529-057-8
Scortecci Editora - Romance
Formato 14 x 21 cm - 1ª edição - 2020 - 172 páginas

Ler Mais

ANTOLOGIA PALAVRAS DO COTIDIANO, SCORTECCI EDITORA / PUBLISKO

A Scortecci Editora costuma produzir alguns livros de antologias com temas variados. Dessa vez planeja fazer uma com tema livre, mas em formato de contos, poesias ou crônicas. E, para isso, abriu as inscrições para que autores, residentes no Brasil ou não, maiores de 16 anos, mandem seus textos.

A antologia, chamada Palavras do Cotidiano, terá 80 autores, organizados em ordem alfabética, que poderão se inscrever até o dia 15 de outubro ou até as vagas serem preenchidas. Podendo enviar um ou mais textos com no máximo 6 páginas, e com necessidade de pagamento de uma taxa, dependendo apenas do número de páginas e da quantidade de cópias que o autor deseja receber.

Palavras do Cotidiano será lançada no dia 11 de dezembro (sábado), em um evento virtual pela plataforma Zoom, às 16h, com ID 725 467 53 53. Em caso de desistência de participação na obra e, ela já estiver em processo de produção, o autor está sujeito ao pagamento de uma taxa. Para se inscrever e ler o regulamento é só acessar o formulário no site oficial da editora.

Johann Sebastian
Ler Mais

LIVRO ENQUANTO EU ESCREVIA... DE NANE P. FELICIANO / CAFÉ COM LEITURA

DIÁRIO DE BORDO DE ESCRITA - RELACIONAMENTO ÍNTIMO COM O QUE ESCREVEMOS

Remexendo nas minhas coisas por aqui, encontrei esse livro de contos e crônicas da Nane Feliciano, que ela publicou pela Scortecci Editora e que foi um dos livros que mais me tocou em minhas leituras de 2019.

O título do livro é: "Enquanto eu Escrevia...
(Porque talvez você tenha vivido coisas assim)"

Me lembro que, ao ler os textos em que a autora nos remete inclusive a algumas vivências pessoais, senti na ocasião um conforto tão grande! Sensação de plenitude, sabe?
Tanto que me pus a buscar as minhas caixas, os meus diários, fotos e objetos do passado que me remetiam a alegrias daquele presente!

E aí, com base no título da obra e também nesta fase em que retorno à escrita, peguei-me a pensar:

O que me vem à mente, à alma e ao coração enquanto escrevo?

O que me leva a querer narrar uma história, a trajetória de um ou mais personagens?

Quais os sentimentos, com base no que nos dispomos a escrever, nos envolve, nos enreda durante o processo de criação?

São questionamentos íntimos, da nossa futura relação com o texto, mas que com certeza farão diferença do processo de escrita ao momento de publicação.

Você, escritor, já parou para pensar nisso tudo?

O livro de Nane Feliciano não é um manual de escritas, que fique claro! Como disse, uma coletânea de contos e crônicas que tratam de relacionamentos, fatos divertidos do dia a dia, com uma edição e capa belíssimas, sem contar uma escrita que nos acolhe.

Beijos Literários!

Ana Claudia Soriano

ENQUANTO EU ESCREVIA.../ Nane P. Feliciano
ISBN: 978-85-366-5789-9
Scortecci Editora - Contos e Crônicas
Formato 14 x 21 cm - 1ª edição - 2019 - 168 páginas
Ler Mais

Por um ambiente saudável nos negócios

 SNEL - Nº 28|25/03/2021 -

“Autor, editor e livreiro formam uma trinca inseparável, pela identidade de interesses culturais e econômicos. Aquele que pense em se afastar dos outros vai se dar mal.”

Carlos Drummond de Andrade


Cunhada em uma placa afixada na sede do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL), a frase acima é uma síntese dos princípios sustentados pela entidade de classe ao longo de seus quase 80 anos: a representação dos editores, indissociável da defesa do livro e da leitura no país e do equilíbrio de sua cadeia produtiva.

O SNEL acompanha atentamente os recentes debates sobre a situação do mercado livreiro face ao agravamento da pandemia de covid-19 no Brasil e às práticas comerciais criadas ou intensificadas em decorrência dessa nova realidade – que nem sempre estão em consonância com o conceito de união celebrado por Drummond e por nós.

Uma delas é uma política de descontos excessivos aplicada ao preço de capa dos livros (lançamentos ou não) e concentrada no e-commerce, canal que ganhou protagonismo neste período. Dados do 2º. Painel do Varejo de Livros deste ano, estudo da Nielsen em parceria com o SNEL, revelam que, no comparativo entre 2020 e 2021, houve um aumento de 8 p.p. (pontos percentuais) no valor do desconto médio concedido nas vendas. É fundamental esclarecer que – ao contrário do que o senso comum leva a crer – os crescentes descontos não deflagram um cenário positivo para o mercado livreiro.

Tal movimento afeta drasticamente as margens de lucro das editoras e livrarias, que acompanham a depreciação de valor comercial e cultural de seus produtos, o que, em última análise, enfraquece a bibliodiversidade brasileira. O aumento da variedade de títulos circulando na sociedade e a ampliação dos índices de leitura no país são bandeiras perenes e prioritárias em nossos posicionamentos nos âmbitos político, social e econômico.

Por isso, diante das discussões em voga atualmente no setor do livro no país, torna-se ainda mais importante a manifestação pública do SNEL em defesa de um ambiente saudável de negócios. Nosso desejo é que as relações comerciais sejam pautadas pela transparência e pelo equilíbrio entre todos os entes da cadeia livreira, que, no longo prazo, trará ganhos enormes para a indústria e consequentemente para a nação leitora que lutamos para fomentar.

Marcos da Veiga Pereira
Presidente do SNEL
https://www.snel.org.br


Ler Mais

A ENERGIA PRÓSPERA DE RICARDO YABUSHITA / LEITURA ENIGMÁTICA

A energia próspera é uma obra de não ficção que ajudará quem necessita de ter sua vida organizada e melhorada. Não se trata de uma obra de autoajuda, mas sim de organização mental e energética, onde o autor nos dará dicas de como alcançarmos esse benefício.

Nunca acreditei nesse lance de energia positiva, negativa, sobre o que se deseja, o Universo te envia e tal, mas após ler essa obra e dar uma chance para essa ação, confesso que minha vida deu um salto para melhor e continua a progredir. Ricardo, com um texto agradável e bem didático, nos ensina como chegar ao nosso ponto de equilíbrio em todas as dimensões: emocional, financeira, familiar, profissional, entre outras, além de como nos comportar perante pessoas que não nos agrega em nada, possuindo assim, um círculo de negatividade.

Conforme fui lendo, notei como eu deixava alguns fatores corriqueiros do cotidiano passarem a me dominar e gerar toda uma negatividade que chegava até ser ruim fisiologicamente, como diz na obra “você precisa controlar seu corpo, não contrário”. Confesso que estou colocando em prática o que li, mas não é fácil, só que precisamos ser persistentes, caso desejamos alcançar algum objetivo.

Eu considero essa obra um manual do bem-estar, estou sempre consultando alguns capítulos, fazendo minhas anotações e as praticando, pois sinto uma leveza e uma paz comigo mesmo que jamais tinha sentido, desde que me dei por gente e agora essa obra tem sido meu refúgio para minhas dúvidas.

“Está na hora de acordar, de desligar o piloto automático e se tornar mais consciente de tudo o que seu corpo ingere como estímulo energético”.

O trabalho do autor é muito reconhecido atualmente, pois seu conhecimento em energização é amplo, com muita experiência no ramo, ele vem atendendo muitas pessoas, além de possuir um blog e um canal no youtube onde ele dá dicas do assunto, além de fazer lives todos os domingos às 20:00 no Instagram.

E se você ficou interessado em saber mais dessa obra, não deixe de ler “A energia próspera”, pois te garanto que irá ajudar muito, onde iremos viver em plenitude e sem seres negativos ao nosso lado. Eu altamente recomendo.

Sobre o autor
Ricardo Yabushita começou sua carreira na área de tecnologia. Atualmente mantém investimentos com diversas parcerias de empreendedorismo entre restaurante, empreendimentos imobiliários e startups no seguimento de IOT (Internet of Things).

Na área terapêutica, unindo conhecimentos de espiritualidade e cursos e leitura sobre energização, começou a prestar atendimentos na linha energética focada na saúde, ajudando pessoas no alívio de dores e tensões físicas, principalmente aquelas causadas por padrões mentais e comportamentais.

Expandiu sua atuação como consultor energético, atendendo residências e empresas, auxiliando centenas de empresários a prosperarem e ampliarem seus negócios.

Seus serviços eram tão requisitados que chegou a realizar mais de 1.000 atendimentos por ano. 

Gustavo Barberá
https://www.leituraenigmatica.com/

A Energia Próspera / Ricardo Yabushita
ISBN: 978-85-366-5139-2
Scortecci Editora
Formato 14 x 21 cm - 3ª edição - 2020 - 168 páginas
Ler Mais

CONTOS, CRÔNICAS E POEMAS DE MARTHA MEIRELLES SALOTTI / PUBLISKO

O trabalho de uma vida. Essa é uma das formas com que se pode definir o livro Contos, Crônicas E Poemas, da paulistana Martha Meirelles Salotti, uma obra delicada e terna, mas, ao mesmo tempo, forte e cheia de personalidade, composta por alguns dos textos que escreveu ao longo dos anos de sua vida. A vontade de publicá-los veio depois da repercussão que seu poema A Lama teve depois de ser publicado no jornal Diário do Grande ABC. Esse foi o empurrãozinho que lhe faltava.

Mesmo tendo primeiro se arriscado no universo do jornalismo, foi como professora de matemática que Martha encontrou sua vocação. Seus mais de 30 anos de trabalho no magistério público estadual e municipal de São Paulo foram de grande inspiração para essa obra, que é dividida em duas partes: metade sobre suas experiências profissionais, metade sobre vivências do cotidiano familiar.

Em páginas singelas e cheias de carinho, ela conta causos interessantes, declama poemas repletos de memórias muito íntimas e apresenta ideias e reflexões fortes sobre educação. A seleção dos textos para essa coletânea foi, claramente, feita com muito cuidado e revela não apenas as experiências de uma mulher que viveu muito e plenamente, mas uma pessoa de personalidade e ideias arrojadas, que não tem medo de lutar pelo que acredita.

A primeira parte do livro, que contém textos sobre sua vida profissional, é bastante militante e até didática. Em meio a alguns ensaios sobre educação e aprendizado, está O Peixinho Azul, provavelmente a melhor crônica da obra. Em poucas páginas, Martha lembra do episódio em que, na época que era diretora, resolveu comprar um aquário para colocar no colégio. No entanto, a história é tão leve e divertida que destoa um pouco dos ensaios mais “cascudos” presentes nesta parte do livro e o intercalar de gêneros pode causar um pouco de confusão no leitor.

Já a segunda parte, sobre a vida em família, tem um tom mais íntimo e pessoal, com muitas crônicas rememorando seus pais e familiares e poemas existencialistas. É bonito ler as memórias de Martha, escritas com notável carinho, o sentimento é que invadimos seu diário secreto, repleto de textos que demonstram seu respeito pela família. O melhor é que mesmo aqueles que não conhecem a escritora podem se emocionar com as histórias contadas por ela, pois suas palavras vão direto ao coração e é fácil se identificar.

Contos, Crônicas E Poemas, publicado pela Editora Scortecci, é uma bela homenagem que Martha faz a dois de seus maiores amores: o magistério e a família. Através de diversos gêneros literários diferentes, ela conta histórias, reflete, opina e compartilha experiências de uma vida cheia de alegrias. No exercício de se expressar por meio de palavras, ela também presta homenagem a si própria, como mulher escritora, corajosa por colocar sua arte no mundo, sem medo de expressar opiniões fortes de uma vida dedicada a educar e aprender.

Crystal Ribeiro
https://publisko.com/

Contos, Crônicas e Poemas / Martha Meirelles Salotti
ISBN: 978-65-5529-152-0
Scortecci Editora
Formato 14 x 21 cm - 1ª edição - 2020 - 84 páginas
Ler Mais