O que é Libras

Portal Libras - Libras é a sigla da Língua Brasileira de Sinais. As Línguas de Sinais (LS) são as línguas naturais das comunidades surdas.

Ao contrário do que muitos imaginam, as Línguas de Sinais não são simplesmente mímicas e gestos soltos, utilizados pelos surdos para facilitar a comunicação. São línguas com estruturas gramaticais próprias.

Atribui-se às Línguas de Sinais o status de língua porque elas também são compostas pelos níveis lingüísticos: o fonológico, o morfológico, o sintático e o semântico.

O que é denominado de palavra ou item lexical nas línguas oral-auditivas são denominados sinais nas línguas de sinais. O que diferencia as Línguas de Sinais das demais línguas é a sua modalidade visual-espacial.

Fundação Dorina Nowill para Cegos

Fundação Dorina Nowill Para Cegos, antiga Fundação Para o Livro do Cego no Brasil, foi instituída em 11 de março de 1946 pela professora Dorina de Gouvêa Nowill. A necessidade de criar a fundação surgiu após a dificuldade enfrentada pela professora, deficiente visual desde os 17 anos, em encontrar livros em Braille.

Inicialmente, a Fundação dedicou suas atividades para a produção manual de livros em Braille realizada por um Grupo de Voluntários. Com o sucesso das atividades, possibilitadas pelo apoio destes voluntários, dos Governos Municipal e Estadual e por doações de equipamentos, foi possível instalar a Imprensa Braille para produção industrializada de livros em Braille.

Uso de obra em "Libras" pode ter isenção de D. Autoral

Câmara - 02/01/2008 - O Projeto de Lei 752/07, do deputado Paulo Pimenta (PT-RS), permite a reprodução, sem pagamento de direitos autorais, de obra literária, científica ou artística destinada aos deficientes auditivos, mediante o uso da Língua Brasileira de Sinais (Libras); e aos deficientes visuais que usam o sistema braille. A proposta muda o artigo 46 da Lei 9.610/98 e altera Lei 10.098/00, que regula a acessibilidade de deficientes físicos. Segundo o autor, é importante ampliar a acessibilidade das pessoas com deficiências.

CE vai analisar projeto que torna obrigatório o ensino da Língua Brasileira de Sinais

Agência Senado - 26/09/2008 - O substitutivo ao projeto de lei do senador Cristovam Buarque (PDT-DF) que torna obrigatório o ensino da Língua Brasileira de Sinais (Libras) na educação infantil e no ensino fundamental (PLS 14/07) deverá ser analisado em turno suplementar pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) no dia 7 de outubro de 2008. As Línguas de Sinais (LS) são as línguas naturais das comunidades surdas. Cada país possui a sua própria língua de sinais, que sofre as influências da cultura nacional. A Língua Brasileira de Sinais tem sua origem na Língua de Sinais Francesa.

Editora Aymará realiza adaptação e criação de livros para inclusão de crianças com deficiência visual ou com baixa visão

Dados do Ministério da Educação (MEC/Inep) de 2007 revelam que no Brasil existem, aproximadamente, 654.606 alunos matriculados na educação especial. Destes, 9.158 têm deficiência visual e 52.777 possuem baixa visão. Desde 2006, a Lei de Diretrizes e Bases (LDB) orienta que crianças com necessidades especiais sejam incluídas em classes periódicas. Para reconhecer esse direito e assegurar o cumprimento da legislação vigente o Governo Federal,  por meio do MEC/FNDE, tem implementado programas para a aquisição de livros especiais, disponibilizando, nas escolas públicas, obras em formatos acessíveis para essas crianças. Pensando nisso, a Editora Aymará não só adapta como também  desenvolve, atualmente, materiais para deficientes visuais, sejam eles cegos ou com de baixa visão, além de produtos voltados para a formação de professores que trabalham com esses alunos. 

Estudante cria dicionário de filosofia em Libras

JC Online - 23.10.2008 - O maior número de alunos com problemas auditivos no ensino superior – fruto das políticas de inclusão praticadas no Brasil nos últimos anos – geraram a necessidade de um aprimoramento da Língua Brasileira de Sinais (Libras) para a comunicação em linguagem universitária. Essa foi a constatação da aluna do último ano do curso de Filosofia da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG), Terezinha Cristina da Costa Rocha, que trabalha no Núcleo de Inclusão de Pessoas com Necessidades Especiais da universidade. “A Libras, apesar de existir desde o século 18, só foi regulamentada a partir de 2002. E com as leis de inclusão, nós percebemos que ela só dava conta da linguagem cotidiana, que não havia representação em Libras para as palavras rebuscadas do mundo acadêmico, menos ainda da Filosofia, que é muito abstrata”, explica Terezinha.

Instituto Pró-Livro a convite da Fundação Dorina Nowill leva à 8ª edição da REATECH contação de histórias especial

31.03.2009 - Apresentação adaptada de Reinações de Narizinho promete encantar pessoas com deficiências visuais, auditivas e motoras. “Ainda farei livros onde as crianças possam morar”, disse Monteiro Lobato. É com esse espírito que o Instituto Pró-Livro instala o "Sitio do Pró-Livro" (em estande montado em parceria com a Fundação Dorina Nowill) durante a VIII REATECH – Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade, que começa no próximo dia 02, em São Paulo. O objetivo é mostrar que a leitura se torna cada vez mais acessível para todos. Uma contação de histórias da obra Reinações de Narizinho, foi preparada com o objetivo de despertar o interesse pela leitura de pessoas com deficiência. É curioso lembrar que, no país 2,9 milhões de brasileiros lêem através de áudio-livros e 409 mil lêem livros em braile. Já 8% dos brasileiros não leitores, justificam que a falta de leitura se dá em razão de limitações físicas, como a baixa visão.

Livros em Braile

Este ano se comemoram os 200 anos do nascimento de Louis Braille, criador do sistema Braile. No Brasil, o  Dia Nacional do Braile é comemorado em 8 de abril, homenagem a José Álvares de Azevedo, patrono da educação para cegos no país. Criado por Louis Braille, aos vinte anos de idade, o sistema braile continua imprescindível para a formação educacional e cultural de deficientes visuais ou com baixa visão; é o elemento catalisador que possibilita a participação integral dessas pessoas, na educação, na cultura, na política e na ciência em pleno terceiro milênio. Diante da determinação do MEC, os alunos com deficiência visual estão sendo inseridos em escolas comuns de ensino. Suprir as instituição de ensino com material didático e livros também em braile e capacitar os profissionais ao trabalho com pessoas com necessidades especiais passam a ser os grandes desafios de municípios, Estados e governo federal. Sempre às voltas com o tema da inclusão, seja social ou educacional, Paulinas foi a primeira editora no Brasil a lançar, em 2005, um livro infanto-juvenil em braile e tinta.

Voltar Topo Indicar a um amigo Imprimir
 

AMIGOS DO LIVRO - O PORTAL DO LIVRO NO BRASIL
amigosdolivro@amigosdolivro.com.br

ANTES DE PEDIR OU SOLICITAR QUALQUER INFORMAÇÃO AO PORTAL
LEIA PRIMEIRO O "PERGUNTAS FREQUENTES"

 
Nipotech