Guilherme de Almeida 125 anos

No próximo dia 24 de julho de 2015, Guilherme de Almeida (Guilherme de Andrade e Almeida) se fosse vivo, estaria completando 125 anos. Guilherme nasceu em Campinas, SP no ano de 1890. A estreia literária de Guilherme de Almeida se deu em 1916, com Mon Coeur Balance e Leur Âme (teatro), peças escritas em colaboração com Oswald de Andrade e editadas sob o título de Théatre Brésilien. Seu primeiro livro de poemas, Nós, veio a lume em 1917, seguindo-se A dança das horase Messidor, ambos de 1919, e o Livro de Horas de Sóror Dolorosa, publicado em 1920. Escreveu, em 1921, o ensaio Natalika e os atos em verso Scheherazada e Narciso – A flor que foi um homem. Publicou Era uma Vez... em 1922.

Votação das biografias fica para o ano que vem

O Estado de S. Paulo - 11.12.2013 - Julio Maria - Depois de muita polêmica e promessas de votação, o assunto biografias ficou para o ano que vem. É certo que a Câmara dos Deputados não vai mais votar o tema este ano. “Estou seguro de que o projeto de lei (que passa a permitir biografias não autorizadas) será votado e aprovado tão logo sejam retomados os trabalhos em 2014”, diz o deputado Newton Lima (PT-SP). No STF, que entra em recesso dia 20, também é improvável que uma Adin sobre o assunto seja votada este ano.

Paulo Coelho diz estar preocupado com publicação de sua biografia

24HorasNews - 21/04/2008 - Em entrevista a revista Contigo!, o escritor Paulo Coelho afirmou que teme o resultado de sua primeira biografia oficial, que foi escrita por Fernando Morais. "O Fernando não ouviu só meus amigos, também ouviu meus inimigos. Eu estou muito curioso para ler o livro e, acrescento, temeroso. Mas, na verdade, o que eu vou temer? Eu vivi tudo aquilo", afirmou o escritor à publicação. Além de estar preocupado com o resultado do trabalho de seu biógrafo, Paulo Coelho disse que se arrependeu de ter cedido seu baú de lembranças. "Eu reli tudo. Mas já dei, agora é tarde. Vai ter algo positivo disso: eu vou me mostrar para mim mesmo", explicou.     

Os ideais do jornalista e escritor Lima Barreto

Pinda Vale - 01/11/2007 - Ocimar Barbosa - O mestiço, que nasceu no Rio de Janeiro no dia 13 de maio de 1881, deixou seu nome marcado pelo brado forte contra as injustiças sociais. Afonso Henrique de Lima Barreto era filho de mãe escrava e pai português, funcionário da tipografia da Imprensa Nacional. Vem daí, sua iniciação no universo das publicações. Barreto perdeu a mãe aos sete anos de idade. Tinha um padrinho influente que era o ministro do império, o Visconde de Ouro Preto, que foi quem o encaminhou pelos estudos, desde o ginásio até a Escola Politécnica em 1887 onde estudaria engenharia.

O que é 'contexto desfavorável'?

Folha de S. Paulo - 2/5/2007 - por Paulo Coelho - Tenho uma grande admiração por Roberto Carlos. E tenho um grande respeito pela editora Planeta. Dito isso, é com grande tristeza que leio nos jornais que, na 20ª Vara Criminal da Barra Funda, em São Paulo, os advogados do cantor Roberto Carlos e da editora Planeta fizeram um acordo que prevê a interrupção definitiva da produção e comercialização da biografia não-autorizada "Roberto Carlos em detalhes", do jornalista e historiador Paulo Cesar Araújo.  

Biografia autorizada do Grupo Silvio Santos será lançada em dezembro

Portal Imprensa - 21/11/2007 - Pedro Venceslau - Depois muitas idas e vindas, finalmente foi concluída a biografia autorizada do Grupo Silvio Santos, editada pela TV1 Editorial. O lançamento do livro está previsto para a primeira semana de dezembro, quando o "Grupo Silvio Santos" completa 50 anos, em festa comemorativa. Fora os negócios paralelos, o conglomerado do "homem do Baú" conta com 13 empresas de comunicação.

Algumas opções de títulos foram apresentadas a Silvio Santos, mas o nome definitivo ainda não foi escolhido. Até o momento, provisoriamente, o título trabalhado é "Grupo Silvio Santos - 50 anos", mas provavelmente este nome será alterado.

A obra é escrita em terceira pessoa e centrada mais na história da empresa do que na de seu fundador, ao contrário de biografias recentes, como as do Bispo Edir Macedo, Roberto Marinho e Octavio Frias de Oliveira.

Biografia de Edir Macedo esgota e editora prepara mais 160 mil exemplares

Folha Online - 02.11.2007 - RICARDO FELTRIN - Menos de um mês após seu lançamento, a biografia autorizada do bispo Edir Macedo, líder da Igreja Universal e dono da Rede Record, esgotou. Foram cerca de 700 mil cópias vendidas até ontem. Segundo a Folha Online apurou, a editora Larousse anunciará na segunda-feira uma tiragem extra de 160 mil exemplares. "O Bispo: A História Revelada de Edir Macedo" já registra uma das maiores tiragens da história do mercado editorial brasileiro.

Biografia de Maysa entra na lista de livros mais vendidos no Brasil

Folha de S. Paulo - 05/06/2007 - Em meio à polêmica nacional em torno de biografias --autorizadas ou não-autorizadas-, um livro se destaca na lista de mais vendidos no Brasil. "Maysa - Só Numa Multidão de Amores" (ed. Globo) chega nesta semana ao ranking de não-ficção, no oitavo lugar. O autor, Lira Neto, teve acesso aos diários da cantora, cuja morte completou 30 anos em janeiro. Ele mergulhou em seu arquivo particular, que lhe foi aberto pelo filho de Maysa, o diretor de cinema e televisão Jayme Monjardim.

Biografia não-autorizada - A história dos Trapalhões vira livro e Didi é o último a saber

O Estado de S. Paulo - 11.11.2007 - Alline Dauroiz - Com histórias curiosas e versões controversas sobre o mesmo fato, chega às livrarias Os Adoráveis Trapalhões (Editora Matrix), primeiro livro sobre a trajetória do quarteto na TV. Estranhamente, nas entrevistas para a obra, os autores falaram com Dedé Santana e familiares de Zacarias e Mussum, mas deixaram de fora Renato Aragão, o Didi. O líder do grupo foi avisado pelo Estado da existência da publicação, em parte, não-autorizada.

Biógrafo de RC pede na Justiça liberação do livro

Folha de S. Paulo - 5/7/2007 - O escritor Paulo Cesar de Araújo decidiu lutar para que Roberto Carlos em detalhes volte às livrarias. Na contestação à ação movida pelo cantor contra seu biógrafo não-autorizado por danos morais e materiais, apresentada na semana passada no Rio, Araújo pede que a liminar que suspendeu a venda do livro seja revogada.

O acordo que o autor, a editora Planeta e Roberto assinaram em 27/04 pôs fim ao processo por difamação, na área criminal. "O livro está circulando na internet, sendo vendido pelos preços mais loucos possíveis. Só quem está perdendo é o Paulo Cesar, que não recebe nada por seu trabalho", disse a advogada do autor, Deborah Sztajnberg.

Biógrafo de Roberto Carlos diz se sentir "abandonado"

Folha de S. Paulo - 3/5/2007 - por Eduardo Simões - O historiador Paulo Cesar de Araújo diz que se sentiu "abandonado" e que viu seu livro ficar "sem defesa" durante a audiência na última sexta-feira que resultou no acordo para a proibição definitiva da produção e venda da biografia Roberto Carlos em detalhes. Roberto havia alegado invasão de privacidade e, diante do acordo, desistiu dos processos cível e criminal que havia aberto.

Biógrafos reclamam de censura

Folha de S. Paulo - 30/4/2007 - O acordo firmado na última sexta-feira (27/04) entre o cantor e compositor Roberto Carlos e a editora Planeta, que prevê a interrupção definitiva da produção e comercialização da biografia não-autorizada Roberto Carlos em detalhes, do jornalista e historiador Paulo Cesar Araújo, foi considerado uma ameaça pelo escritor e biógrafo Jorge Caldeira, autor dos livros Mauá e José Bonifácio de Andrade e Silva.

Editora faz "megalançamento" para biografia de Edir Macedo

Folha Online  - 20.08.2007 - RICARDO FELTRIN - A biografia de Edir Macedo, fundador da Igreja Universal e principal acionista da Rede Record, será lançada em 29 de outubro com um dos maiores esquemas de divulgação da história do setor editorial brasileiro. Além da primeira tiragem de 700 mil cópias --o dobro de lançamentos como "Harry Potter" ou de qualquer obra de Paulo Coelho-- a editora Larousse prepara um lançamento simultâneo em todas as capitais do Brasil. Detalhe: o biografado não participará de nenhum desses eventos. Tampouco dará entrevistas. A aversão a entrevistas começou em 1995, quando a Globo colocou no ar a minissérie "Decadência". Nela, Edson Celulari interpretava um maquiavélico e inescrupuloso pastor evangélico. Ofendido com a obra teledramatúrgica, criada em plena "guerra santa" com a emissora carioca, Macedo não só jamais perdoou a concorrente, como também decidiu "cortar relações" com a imprensa, considerada insidiosa.

Editoras já rejeitam novas biografias

O Estado de S. Paulo - 26/5/2007 - por Ubiratan Brasil - Biógrafos tarimbados condenaram a atitude de Roberto Carlos e também a da editora Planeta em não levar o caso adiante. "Se possível, a questão deveria chegar até o Tribunal de Haia", ironiza Fernando Morais, oito biografias no currículo e prestes a terminar mais uma, já intitulada O mago, sobre o escritor Paulo Coelho e que deverá ser lançada no segundo semestre. "Acho ruim fazer acordo logo no início de um processo, pois, à medida que o caso vai subindo de instância, mais independente espera-se que seja o encarregado de julgar." "Sou contra biografias autorizadas, porque elas exigem que o autor submeta o original ao biografado ou à família deste para que seus advogados dêem palpites", comenta Ruy Castro.

EM DEFESA DAS BIOGRAFIAS / Claudio Willer

Décadas atrás, por volta de 1980, interessava-me por Dashiell Hammett, o pioneiro autor norte-americano de O Falcão Maltês e outras histórias de detetive. Escrevi um poema homenageando-o. Publiquei algumas páginas de ensaio (no então Folhetim, depois em mais alguns lugares). Interessava-me a inovação no gênero que Hammett promovera, enriquecendo-o: histórias de crime e detetive tornaram-se ambivalentes, menos lineares, e expressavam uma crítica e uma posição política (mais tarde, Hammett seria perseguido pelo macarthismo). Fascinava-me o mistério: como era possível, um detetive particular desempregado, sem formação literária, escrever tão bem? 

Especialistas criticam acordo de editora com o Rei

O Globo - 5/5/2007 - por Alessandra Duarte  - O fim da novela na Justiça sobre o livro Roberto Carlos em detalhes - que, após um acordo entre o cantor Roberto Carlos e a editora Planeta, teve sua venda proibida e seus exemplares recolhidos - foi interpretado como uma derrota para seu autor, o pesquisador Paulo Cesar de Araujo. Mas, para especialistas em direitos autorais, a polêmica não foi a derrota do autor, e sim o fato de a questão não ter sido sequerdecidida por um juiz. Para advogados, o acordo pode ser questionado na Justiça por uma ação cível.

Lei das Biografias chega à Câmara dos Deputados

Blog do Galeno Amorim - 8/5/2008 - O deputado federal Antônio Palocci (PT-SP) protocolou nesta quarta-feira (7/5) projeto de lei que pretende coibir a prática da proibição de livros biográficos no Brasil. A idéia é mudar o artigo 20 da Lei 10.406, de 2002, que é uma porta escancarada para o veto de biografados e herdeiros às biografias não autorizadas. Da forma como está, a legislação permite, por exemplo, que um descendente de um herói nacional peça à Justiça - e, pior, seja atendido - que proíba certos livros sobre seu parente famoso, sob o pretexto de que o autor estaria explorando indevidamente seus direitos de imagem e faturando com isso.

Carta de Fortaleza

17.11.2013 - Os biógrafos reunidos no 1º Festival de Biografias, em Fortaleza, vêm a público manifestar apoio irrestrito à Ação Direta de Inconstitucionalidade dos artigos 20 e 21 da Lei 10.406/2002 (Código Civil), ajuizada no Supremo Tribunal Federal pela Associação Nacional dos Editores de Livros, e ao projeto de lei 393/2011, de autoria do deputado federal Newton Lima. As duas bem-vindas iniciativas pretendem abolir a censura prévia imposta a biografias e demais manifestações culturais, acadêmicas e jornalísticas.

Voltar Topo Indicar a um amigo Imprimir
 

AMIGOS DO LIVRO - O PORTAL DO LIVRO NO BRASIL

FALE CONOSCO

 
Nipotech