Balanço da 53ª Feira do Livro de Porto Alegre

Em coletiva de imprensa realizada na Sala dos Jacarandás na manhã desta terça, 13, foram divulgados os dados finais de mais uma edição da Feira do Livro de Porto Alegre. Presentes no evento, os membros da Câmara Rio-Grandense do Livro (CRL) e o patrono Antonio Hohlfeldt avaliaram o evento de maneira positiva. 

Para o presidente da CRL, Waldir da Silveira, seria simplismo analisar o maior evento cultural do Estado levando em consideração apenas o número de vendas. Em relação a 2006, a área infantil teve decréscimo, pois no ano passado houve uma inflação com a ampla distribuição de “kits” (CDs, livros, brindes) por partes das editoras.

Conforme Waldir, este ano o consumidor da Feira esteve mais exigente: “segundo especialistas, a venda de quem trabalha apenas com literatura aumentou 52%. A venda das barracas que trabalham com os kits caiu 50% em relação a 2006.” O presidente da CRL destacou ainda algumas informações obtidas por meio da pesquisa de opinião realizada no período da Feira: 41% dos visitantes da Feira são provenientes de fora de Porto Alegre, que são as mulheres as maiores compradoras de livros e que a nota média atribuída ao evento pelo público foi de 9,2. 

Variedade e Segmentação - Logo após parabenizar os organizadores da Feira e a imprensa pelo trabalho, o patrono Antonio Hohlfeldt salientou que, enquanto comprador, percebeu mais variedade e maior segmentação entre as barracas, justificando o deslocamento do público de uma banca à outra. Também mencionou que foi positiva a presença de pessoas do interior e a vasta literatura sobre a história da Capital.
 
Cais integrador - Para o representante dos distribuidores, João Manoel Carneiro, um dos destaques da 53ª edição da Feira foi a maior qualificação da área infantil e juvenil, no Cais do Porto, por meio de atividades dirigidas aos pais, professores e bibliotecárias. Houve também uma maior atenção aos portadores de necessidades especiais, como acessos especiais aos cadeirantes e publicações em braile.
 
Número de visitantes - Na coletiva de imprensa, a primeira questão que surgiu foi referente ao número de pessoas que passaram pela Feira durante os 17 dias de evento. Conforme o presidente da CRL “é impossível realizar um cálculo exato, visto que a Feira é aberta, pública e localiza-se em local de passagem de muitos trabalhadores do Centro”.
 
Programação cultural - Sobre as palestras, oficinas e eventos culturais, a coordenadora da programação adulta Jussara Rodrigues salientou que os maiores públicos apareceram nos eventos segmentados, como os para terceira idade ou universitários. Por outro lado, assuntos mais populares, como espiritualidade e esoterismo, também tiveram lotação esgotada.
 
Mais comprado e mais vendido - Consultada sobre as listas dos livros mais vendidos, Jussara Rodrigues informou que um dos principais fatores de influência para as compras são as listas divulgadas durante a Feira. “Tem muita gente que chega perguntando direto quais os bestsellers.” Outro fator que para ela é decisivo no ato das compras é a procedência do autor. “O leitor gaúcho gosta muito de ler livros daqui. Não é por acaso que escritores como Nei Lisboa, Martha Medeiros, David Coimbra e Fernando Lucchese estão sempre nas listas”, concluiu. Jussara destacou também que o livro Melhores Piadas do Cafezinho, também editado no Estado, chegou a ter cinco edições esgotadas durante a Feira.

DADOS GERAIS DA FEIRA DO LIVRO

Final de Feira. Depois de 17 dias, a Feira do Livro de Porto Alegre se despede da Praça da Alfândega certa de que, mais uma vez, colaborou para que a população tivesse acesso ao livro e à leitura, por meio de encontros com escritores, oficinas, apresentações artísticas e milhares de títulos literários num espaço aberto e democrático.

Além dos agradecimentos necessários ao apoio de toda a imprensa, fica o convite para o próximo ano. A 54ª Feira do Livro de Porto Alegre já tem data marcada: 31 de outubro de 2008. Neste material, reunimos as principais informações que comprovam a abrangência de realizações e de público alcançada pela Feira em mais uma edição.

VOLUME DE VENDAS DE LIVROS
 
Total: 459.521 (representando uma queda de 3% em relação à Feira de 2006)
 
Área Geral – 322.841 (crescimento de 4% em relação a 2006)
Área Infantil e Juvenil – 117.898 (21% a menos do que no ano passado)
Área Internacional – 18.782 (incremento de 35% nas vendas)
 
Forma de obtenção dos números de vendas: diariamente, cada um dos expositores da Feira preencheu um formulário informando o número de livros vendidos no dia anterior. Os formulários foram recolhidos por funcionários da Câmara Rio-Grandense do Livro (CRL), que contabilizou os números.

LIVROS MAIS COMPRADOS

Este ano, a CRL realizou novamente o acompanhamento dos títulos mais comprados, por meio de uma pesquisa feita diretamente na sacola dos compradores. Além do livro comprado, essa pesquisa teve como objetivo identificar o perfil do visitante, apontar os motivos que o trouxeram à Feira, seu gasto total na visita (não somente em livros), sua área de preferência e os pontos fortes e fracos identificados no evento.

Uma equipe formada por seis pesquisadores e um coordenador de campo entrevistou os visitantes da Feira do Livro de Porto Alegre diariamente. Além das perguntas, eles verificavam o conteúdo das sacolas. O plano da coleta de dados para a pesquisa contemplou uma amostra de 2.250 questionários aplicados durante os 17 dias de evento. Os questionários foram distribuídos em diferentes faixas de horário, considerando os turnos da manhã, tarde e noite e os dias da semana. Assim, no fim-de-semana e no feriado, o número de pessoas abordadas foi proporcionalmente maior do que nos demais dias.

O horário da manhã privilegiou somente a Área Infantil, no Cais do Porto. Na Praça, os entrevistadores foram distribuídos nos setores A, B, C, D (ruas da Feira na Praça) e Área Internacional. A classificação das obras foi baseada na informação que consta em primeiro lugar na ficha catalográfica do livro.

Em caso de divergência de categoria, foi solicitado um parecer conjunto da Associação Rio-Grandense de Bibliotecários e do Conselho Regional de Biblioteconomia. Na pesquisa não foram considerados livros ofertados nas caixas de saldos.

NÚMEROS FINAIS DA PROGRAMAÇÃO

* Área Geral
174 encontros com escritores e especialistas, envolvendo 405 participantes, sendo 45 brasileiros de fora do RS e 28 convidados internacionais
47 oficinas, com 100 módulos, envolvendo 59 oficineiros
31 sessões de vídeo ou cinema, envolvendo 26 comentaristas
101 apresentações artísticas para público adulto, tendo como base livro e literatura
 
Cerca de 17.712 pessoas participaram de algum dos encontros e oficinas da programação da Área Geral durante os 17 dias de Feira. A preocupação da CRL com a formação de novos leitores e com o aprimoramento de novos escritores foi a base para programações de leituras compartilhadas (grande sucesso desta edição da Feira) e de oficinas de criação literária nos mais diversos gêneros (sucesso de público). Destacaram-se na programação, também, eventos com temática voltada à cultura popular (principalmente em apresentações artísticas) e à preocupação com o futuro do planeta.
 
* Área Infantil e Juvenil
80 encontros de crianças e jovens com escritores
389 apresentações artísticas e contações de histórias
40 encontros com educadores
114 apresentações ou lançamentos de livros de escolas e entidades comunitárias
Participação de 52 escritores e ilustradores gaúchos e 33 de outros Estados.
 
Na etapa prévia e durante a Feira, ainda aconteceram 160 encontros com autores indo até as escolas, e outros sete encontros para educadores com especialistas e escritores antes do evento. O número de atividades artísticas foi muito alto em função das contações de histórias. Este ano, a equipe da Área Infantil e Juvenil teve sete contadores disponíveis, que improvisavam sessões de contação de histórias cada vez que chegava uma turma sem agendamento prévio. Nestes números, não estão consideradas as atividades viabilizadas nos espaços dos apoiadores: Refap, Gerdau, carros-biblioteca do Sesi e da Itapemirim, Túnel das Sensações, do Greenpeace, Acampamento Escoteiro e Secretarias de Estado e Municipal da Educação. 
 
Exposições da programação
Exposição Ler é pra cima, da Editora Projeto
 
* Área Internacional
16 apresentações musicais
 
* Encontros
2º Seminário Plano Nacional do Livro e Leitura no Mercosul
Encontro Nacional das Entidades do Livro
1º Encontro Nacional de Oficinas Literárias
8º Encontro dos Organizadores de Feiras de Livros do RS
Seminário Folclore e Escola (com caráter de curso de extensão da Ufrgs)
Seminário O livro literário e seus leitores
Ciclo Mutação na Feira: HQs, zines e outras histórias 

SITE

O site da Feira registrou 63.551 acessos no período de 18 de outubro a 11 de novembro. A média de acessos por dia foi de 1.878.
Dias on-line: 33 dias em 2007 / 25 dias em 2006
Total de acessos: 63.551 acessos em 2007 / 58.854 acessos em 2006
 
Em 2007, dois fatores interferiram no site da Feira do Livro. O primeiro foi a grande proliferação que de blogs e sites que fizeram coberturas (formais e informais do evento). Além disso, o site permaneceu mais tempo no ar, e com a programação inserida desde o dia 18 de outubro, o que fez com que os acessos fossem pulverizados.

DEPOIMENTOS
 
“Ser patrono da Feira do Livro é, efetivamente, uma experiência única, não apenas porque ela é irrepetível, quanto a maneira pela qual o publico em geral reage à feira é uma coisa muito especial. De modo geral, as pessoas assumem e se identificam com a Feira do Livro, e não podendo conversar diretamente com os seus responsáveis – a direção da Câmara Rio-Grandense do Livro – nem com a Feira em si, terminam por transformar o patrono numa espécie de personalização da Feira. Então, ouvindo o rádio, assistindo à televisão ou lendo nos jornais as notícias a respeito da Feira, as pessoas buscam o patrono para expressar seus sentimentos de simpatia, de apoio, de orgulho, de alegria... Muitas vezes, nesses dias, fui parado pelas pessoas mais simples, vindas do interior ou de algum bairro da cidade, que simplesmente querem apertar a mão, tirar uma fotografia ou apenas trocar umas palavras com o patrono para expressarem, exatamente, esses sentimentos.

Por outro lado, o contato com livreiros e vendedores, com todos aqueles profissionais que atuam na Feira, nas funções as mais diversas, serve para evidenciar o orgulho e o sentido de responsabilidade com que cada qual realiza a sua tarefa. É surpreendente pensar nas centenas de pessoas envolvidas na realização dessa feira, e a eficiência com que ela se realiza. Do balcão de informações aos soldados da BM, passando pelos lixeiros e pelos vendedores, há sempre atenção e simpatia pelas pessoas, disponibilidade de prestar serviços e preocupação para poder efetivamente atender a cada um, dentro de suas necessidades. Sinto-me verdadeiramente feliz e orgulhoso de ter vivido essa experiência absolutamente ímpar e inesquecível. Ela vai me marcar, com toda a certeza, daqui pela frente, e vai se integrar às minhas diferentes experiências de vida. É um belo aprendizado de como se pode conviver harmonicamente e com o cumprimento de cada parte de missão, sem quaisquer problemas.” 

Antonio Hohlfeldt – patrono da 53ª Feira do Livro 
 
“A feira atingiu todos os seus objetivos. Discutiu o que se propôs, enriquecendo esta discussão sobre o estrago que o homem está fazendo no planeta. As atividades que abordaram este assunto tiveram grande repercussão e com certeza plantaram alguma semente para colaborar para que esta destruição cesse. Tivemos grandes atrações, e com certeza a maior dela foi a presença da jornalista norueguesa Äsne Seierstad, que declarou ter sido em Porto Alegre uma das maiores sessões de autógrafos que fez no mundo e demonstrou uma grande simplicidade ao se negar parar de autografar pelo cansaço. Também atingimos números de vendas importantes, só havendo um decréscimo de vendas na área infantil visto que os números de vendas desta área estavam tremendamente inflacionados com as famosas “malinhas” – produto que é muito questionado pelos especialistas em literatura infantil. Esta queda mostra que nosso consumidor está cada vez mais exigente e procurando mais qualidade.”

Waldir da Silveira – presidente da Câmara Rio-Grandense do Livro 
 
“Como coordenadora da Área Infantil e Juvenil, saio da Feira satisfeita, mas consciente de que a infra-estrutura e a programação podem ser melhoradas em vários aspectos. Entre os pontos positivos, destaco a qualificação da oferta de livros nas barracas dos livreiros, a maneira cada vez mais consciente com que as escolas preparam seus alunos para os encontros com os escritores e a participação ativa dos pais, juntamente com seus filhos pequenos, nas atividades da Biblioteca do Cais e do QG dos Pitocos. Foi visível, também, o aumento da visitação dos portadores de necessidades especiais à Área Infantil e Juvenil, em função das facilidades que lhes foram disponibilizadas. Para 2008, temos, entre outros desafios, o de aumentar a visitação de alunos do ensino médio das escolas estaduais, que tem sido baixa em comparação com aos de outras redes.”

Sônia Zanchetta – coordenadora da Área Infantil e Juvenil 
 
“A Feira completou seus 53 anos com encantos diferentes para cada uma das fases de sua longa e bem vivida trajetória. Nasceu numa idéia de popularização do livro, de democratização da leitura e cresceu como um grande evento com programações culturais que, de paralelas, passaram a ser essenciais, de divulgação de livros e de leitura. Há saudosistas que prefeririam que a festa da cidade permanecesse com ares de quermesse na praça para manter viva a lembrança de outros tempos, quando a cidade era província, quando o mercado livreiro gaúcho era pequeno, mas já forte e importante no cenário nacional.

A cidade vem crescendo e, com ela, as exigências do público e do mercado. Meios de comunicação e de informação cada vez mais rápidos, mais rapidamente colocados na obsolescência foram dando à leitura, aos livros, à cidade e à praça novos ritmos. Em tempos em que, num pen drive, cabe uma pequena biblioteca, temos que rever conceitos e renovar possibilidades. Sempre.

A Feira a que vínhamos pelas mãos de nossos pais já não é aquela a que trazemos nossos filhos. Novos tempos e, com eles, maiores desafios. Desafio de trazer à praça novos leitores, crianças e adultos, grandes leitores e aqueles que têm maiores dificuldades de acesso à leitura, públicos especializados em suas áreas de atuação, grupos preocupados com um futuro comum, leitores curiosos e leituras cheias de novidades, sem esquecer a importância dos clássicos.

Quebra-cabeça interessante num jogo que a equipe da Câmara do Livro se propõe a jogar a cada ano de forma mais eficiente. Só não vale mudar a regra principal: a praça da Feira é a praça do povo, a leitura precisa ser democratizada e seu acesso popularizado numa população que não pode se orgulhar por uma amarga marca de 70% de analfabetos funcionais. Nós não podemos fazer a mesma Feira nunca. A cada ano, melhor.”

Jussara Rodrigues – coordenadora da Área Geral 
 
 
A assessoria de comunicação do evento agradece a colaboração de todos os colegas jornalistas – repórteres e produtores – que estiveram cobrindo a 53ª edição da Feira do Livro de Porto Alegre. 

Assessoria de Imprensa
KCS Projetos em Comunicação
Coordenação: Cristiane Ostermann e Karen Mendes Santos
Equipe: Carla de Andrade, Paola Coelho, Isabel Viégas Faria, Lara Ely

SERVIÇO:

53ª FEIRA DO LIVRO DE PORTO ALEGRE
 
Patrocinadores
Copesul
Gerdau
Prefeitura de Porto Alegre
Zaffari
TIM
Caixa Econômica Federal (banco oficial do evento)
 
Patrocínio Especial da Área Internacional
Eletrobrás
 
Patrocínio Especial da Área Infantil e Juvenil
Refap
 
Patrocínio Especial Encontros com o Livro
Santander Cultural 
 
Apoio
Leis Estadual e Federal de Incentivo à Cultura: LIC-RS e Lei Rounaet 
 
Realização
Câmara Rio-Grandense do Livro
Presidente: Waldir da Silveira
Vice-presidente: Tuchaua Rodrigues
Tesoureiro: João Cláudio Cervo
Secretária: Regina Leão
Representante Editores: Paulo Lima
Representante Distribuidores: João Manoel M. Carneiro
Representante Livreiros: Vitor Mário Zamdomeneghi
Representante Creditistas: Paulo Roberto de Souza

 
 
Voltar Topo Indicar a um amigo Imprimir
 

AMIGOS DO LIVRO - O PORTAL DO LIVRO NO BRASIL
amigosdolivro@amigosdolivro.com.br

ANTES DE PEDIR OU SOLICITAR QUALQUER INFORMAÇÃO AO PORTAL
LEIA PRIMEIRO O "PERGUNTAS FREQUENTES"

 
Nipotech