José Mauro de Vasconcelos

José Mauro de Vasconcelos nasceu de família nordestina pobre, em Bangu, no Rio de Janeiro, em 26 de fevereiro de 1920.

Ainda bastante novo teve de se transferir para Natal, no Rio Grande do Norte. Aos 9 anos aprendeu a nadar nas águas do Rio Potengi, quando alimentava seus sonhos de ser um campeão.

Em Natal ingressou na Faculdade Medicina, mas abandonou o curso no segundo ano, retornando ao Rio de Janeiro em 1941, em um velho cargueiro, em busca de melhores oportunidades.

Com uma vida nada fácil, foi para São Paulo onde começou como garçom de boate e passou por outros empregos até que ganhou uma bolsa de estudos na Espanha, período em que viajou por vários países da Europa.

De volta ao Brasil trabalhou junto aos irmãos Villas-Boas, principalmente explorando a inóspita região do Araguaia.

Desta aventura resultou seu primeiro livro de estréia, Banana Brava (1942) sobre o mundo dos homens dos garimpos.

Depois veio Barro Blanco (1945) sobre as salinas de Macau, no Rio Grande do Norte, seu primeiro grande sucesso de crítica.

Depois vieram Longe da Terra (1949), Vazante (1951), Arara Vermelha (1953) e Arraia de Fogo (1955).

Porém só com Rosinha, Minha Canoa (1962), atingiu o primeiro sucesso literário e ganhou fama como escritor, sendo este livro utilizado em curso de Português na Sorbonne, em Paris.

Doidão (1963), sobre sua adolescência em Natal, O Garanhão das Praias (1964), Coração de Vidro (1964) e As Confissões de Frei Abóbora (1966), antecederam seu maior sucesso popular, O Meu Pé de Laranja Lima (1968), que foi adaptado pela antiga Tupi e pela Globo, como novelas televisivas e também levado ao cinema.

Foi agricultor, operário, boxeador profissional, professor primário, garimpeiro, sertanista, modelo, ator de cinema (em filmes como Floradas na Serra de 1954, Mulheres e Milhões de 1961 e A Ilha de 1963, entre outros); ator de TV, jornalista e radialista, além de escritor e pintor.

Há uma estátua sua, como modelo, do escultor Bruno Giorgi, no Monumento à Juventude, na antiga sede do Ministério da Educação.

No Livro Meu Pé de Laranja Lima, seu maior sucesso editorial, vendendo nos primeiros meses de seu lançamento, 217 mil exemplares, serve-se de sua experiência pessoal para retratar o choque sofrido na infância com as bruscas mudanças da vida.

Dono de uma literatura leve e agradável, José Mauro fez grande sucesso junto ao público. Mesmo assim a importância do seu trabalho não é devidamente reconhecida no Brasil.

O êxito em atividades tão diversas nunca modificou a sua simplicidade.

Em sua vasta obra, iniciada aos 22 anos de idade e lida em alemão, inglês, espanhol, francês, italiano, japonês e holandês, entre outras línguas, ainda se destacaram Rua Descalça (1969), O Palácio Japonês (1969), Farinha Órfã (1970), Chuva Crioula (1972), O Veleiro de Cristal (1973) e Vamos Aquecer o Sol (1974) e vários de seus livros ganharam versões cinematográficas.

Vale observar que sua autobiografia foi escrita de forma um tanto incomum, em uma seqüência de quatro livros, de forma romanceada: Meu pé de laranja lima, sua infância em Bangu, Vamos aquecer o sol, sua mudança para Natal, O doidão, a adolescência, e Confissões do Frei Abóbora, sua vida adulta.

José Mauro de Vasconcelos morreu em São Paulo, aos 64 anos, no dia 25 de julho de 1984.

 
 
Voltar Topo Indicar a um amigo Imprimir
 

AMIGOS DO LIVRO - O PORTAL DO LIVRO NO BRASIL
amigosdolivro@amigosdolivro.com.br

ANTES DE PEDIR OU SOLICITAR QUALQUER INFORMAÇÃO AO PORTAL
LEIA PRIMEIRO O "PERGUNTAS FREQUENTES"

 
Nipotech