FAZ DE CONTA / Robson Miguez

O livro Faz de Conta retrata perfeitamente a contemporaneidade que a sociedade vive, um faz de conta em todos os segmentos, seja na educação, política, social ou cultural. Esses poemas mínimos e corriqueiros são um grito de liberdade com o qual o autor tenta chamar a atenção da ilha rebelde.
Loreley Nascimento Morais

Ao conhecer o poeta Robson Miguez, fiquei sabendo que ele teve como mestre o conhecido escritor maranhense Nascimento Morais Filho. Ao lançar mão de um estilo que, às vezes, me pareceu ao haicai japonês, o autor, no seu livro Faz de Conta, utiliza vocábulos cotidianos e simples para dizer muito com poucas palavras, às vezes, imprimindo nelas a velocidade de um chicote que fere ou a avidez de uma lâmina afiada que corta inexoravelmente. Aquilo que parece, a princípio, uma composição sobre trivialidades corriqueiras, se transforma numa crítica contundente à sociedade do faz de conta. Sempre achei que a boa arte poética torna-se perene. Diante disso, ao amigo poeta Robson Miguez digo: só os leitores e o tempo poderão confirmar se o seu estilo é indelével. Por enquanto, só posso desejar-lhe boa sorte na sua carreira literária. De qualquer maneira, já o considero merecedor de parabéns.
Alberico Rodrigues - Professor e escritor - São Paulo, 13/03/2015

Um ser iluminado, o poeta Robson Miguez, um proliferador de ideias que se engalfinham num tal redemoinho criativo que, por vezes, parece infinito. Nos anos 70, li um artigo do grande José Chagas, sobre a falta de assunto no cotidiano jornalístico. Começa, então, o poeta a discorrer sobre o tema, nos ensinando que a palavra assunto é, simplesmente, a mistura insalubre de aço + unto... Daí conclui uma viagem de duas laudas e, assim, enchendo linguiça, ganha o seu sagrado pão, daquele dia atípico no vazio da redação. Já Robson Luiz Miguez Dias, não. Jamais sofrerá uma pane dessa ordem. O poeta tem assunto de montão. Ele é o “paganini” do Maranhão e tem, como poucos, um pique de moto perpétuo na batucada da vida. Aluno discípulo do maior pesqui-sador do folclore do Maranhão, o craque Nascimento Morais Filho, o nosso artista aprendeu a cultivar uma certa facilidade para filtrar, condensar e converter em livros, esse enorme sentimento de mundo. Parabéns meu preto.
Adler São Luís - Poeta, cantor e compositor - São Paulo, 17/03/2015

Obrigado Deus, por permitir que a minha missão não se torne uma realização apenas pessoal, e que os leitores que tiverem a oportunidade de uma forma ou de outra, de lerem os meus livros, poderem desfrutar desses conhecimentos que adquiri por merecimento ao longo dos anos.
Robson Miguez - Autodidata, poeta, compositor e artista plástico

Poeta, escritor, contista, prosador, trovador, compositor, cantor e artista plástico: Robson Miguez é de tudo um pouco. Eclético em todas as suas obras, o autor usa, ao contrário de outros poetas conservadores, uma linguagem acessível a qualquer classe social, pois o poeta é aquele que é entendido por todos e não por uma minoria. O livro Faz de Conta retrata perfeitamente a contemporaneidade que a sociedade vive, um faz de conta em todos os segmentos, seja na educação, política, social ou cultural. Esses poemas mínimos e corriqueiros são um grito de liberdade com o qual o autor tenta chamar a atenção da ilha rebelde.
Loreley Nascimento Morais

Faz de Conta é o máximo com seus poemas mínimos. Vocação de jogral: imagino este livro sendo lido em voz alta e em grupo, coral meio falado meio cantando, um depois do outro, diálogos animados, perguntas às vezes, afirmações, afirmações às vezes interrogações, exclamações, poemas declamados, um bando de amigos. Que tal experimentar uma leitura dramática? Recomendo.
Izabel Drulla Brandão

Natural de São Luís/MA, estreou na literatura no ano de 1997, com o livro histórico e de poesia Teatro do Absurdo no Museu Histórico e Artístico com o padrinho literário escritor e maior pesquisador do folclore do maranhão Nascimento Morais Filho. Publicado pela Editora Scortecci em 2014 participou da 23ª Bienal Internacional do livro no Anhembi com o mesmo livro. No ano de 2016 na 24ª Bienal Internacional do livro foi a vez do segundo livro, esse de prosa, o Faz-de-Conta. Com os dois livros participou de varias feiras literárias, entre elas a Feira do Livro de São Luis/MA (Felis) e também em outros centros culturais como o Espaco Cultural Alberico Rodrigues e Livraria e Editora Patuscada.

Serviço:

Faz de Conta
Robson Miguez
Scortecci Editora
Poesia
ISBN 978-85-366-4160-7
Formato 14 x 21 cm
96 páginas
1ª edição - 2015
Preço: R$ 40,00