A SACERDOTISA E O DEUS DA GUERRA / Josiane

Uma autopsia na natureza humana, tendo como leito uma província de delírio, hirta, de um cinzento mortiço e o odor pútrido de um cadáver em decomposição; onde o cerne do homem apresenta-se na plenitude de suas vísceras vermelhas. A província dos loucos, a província sangrenta, a província dos crisântemos, onde uma esfera paralela é buscada tanto através do imaginário quanto através dos tóxicos por aqueles que desejavam se desvencilhar de uma realidade tão torpe quanto suas próprias memórias.

Havia uma regra inviolável naquela casa de paredes de cristal polido: ali enterravam-se seus loucos na mesma sepultura que seus defuntos. E que não vasculhassem o mundo dos mortos ou as caixas contendo seus segredos, pois de dentro pode emergir a escuridão que a todos deixará em uma infindável noite!

“[...] constatou que nunca havia estado com uma prostituta asiática. Fabrizzio dizia que elas eram criativas e que se desgastavam menos, eram raras ali e muito requisitadas; pensa se aquela criatura estaria disposta a saciar sua curiosidade, não sabia como alcançá-la, como dirigir-se a ela sem que o repelisse com uma carranca de desprezo; era a primeira vez que se sentia como uma criança diante de um brinquedo cujo funcionamento era bastante intrincado, se fosse descuidado poderia quebrá-lo, nunca precisou ser cuidadoso, era apenas estalar os dedos ou agitar algumas cédulas que todas aquelas vagabundas lhe vinham como cães famintos, pareciam estar sempre no cio, mas sentia que não seria daquela forma com aquela que estava diante  de  si.”

Josiane Fernandes Amaro, nascida em Belo Horizonte (MG) no ano de 1987, iniciou-se na literatura assim como nas artes plásticas em tenra idade, aos 4 e 6 anos, respectivamente. É graduada em Administração de Empresas e apreciadora do gênero terror em todas as suas nuances e formas. Foi, aos 14 anos, vencedora do concurso de poesias “As águas na vida” em Belo Horizonte. É também autora dos livros de poemas À Ti, Um Réquiem (2012) e Alvida: Réquiem ao Sol da Manhã (2014), ambos publicados pela Editora CBJE do Rio de  Janeiro.

Serviço:

A Sacerdotisa e o Deus da Guerra
Josiane Fernandes Amaro
Scortecci Editora
Ficção
ISBN 978-85-366-4662-6
Formato 14 x 21 cm
416 páginas
1ª edição - 2016
R$ 34,00